Erisipela

Novembro 2017


Definição

a erisipela é uma inflamação aguda da pele que tem sua origem em uma doença infecciosa causada por uma bactéria (estreptococo e às vezes estafilococo dourado). Ela pode afetar:
  • O rosto;
  • Geralmente uma perna.

Trata-se de uma doença muito dolorosa que requer um cuidado urgente para que a infecção não afeta o organismo em maior profundidade. Afetando sobretudo os adultos com mais de 40 anos, essa doença é raramente constada em crianças. Alguns fatores favorecem o surgimento dessa infecção como uma efração cutânea local (corte ou úlcera), uma deficiência de imunidade, uma insuficiência da circulação venosa das pernas ou diabetes.

Manifestações

os sintomas da erisipela do rosto são:
Dores agudas;
Rosto inchado, vermelho e quente;
Aparição de um talão limitando as bordas das zona infectada.
A forma mais comum é a erisipela da perna que afeta apenas uma perna e se manifesta por:
  • Temperatura corporal elevada (39°C/40°C);
  • Placas eritematosas, ou seja, vermelhas;
  • Um edema ou inchaço da perna;
  • Fortes dores na perna onde a pele se torna reluzente e vermelha;
  • Um inchaço dos gânglios situados próximos, principalmente na virilha.

Diagnóstico

Os sintomas e as manifestações físicas da erisipela (chamada também de dermo hipodermite aguda não necrosante) permitem um diagnóstico. De toda forma, o motivo que o favorece deve ser sempre pesquisado. Pode tratar-se de um:
  • Deficiência imunológica;
  • Diabetes.

Exames complementares não indispensáveis, indicando geralmente um aumento do número de glóbulos brancos (leucócitos), um aumento da PCR, uma proteína específica da inflamação. Em raros casos, a descoberta da presença de um estreptococo por amostra bacteriológica ou uma sorologia são possíveis.

Tratamentos: A erisipela requer um tratamento imediato. Este se baseia na tomada de analgésicos e antibióticos da família dos estreptocócica como a penicilina. A doença deve ser tratada até o desaparecimento da inflamação. Um acompanhamento médico cotidiano é imperativo se o paciente não for hospitalizado. Uma hospitalização pode ser considerada em:
  • Casos de complicações;
  • Se nenhuma melhor for percebida após 72 horas de tratamento.

Prevenção

a prevenção das recaídas de erisipela se baseia em:
  • Sessões de drenagem linfática que vão limitar os transtornos circulatórios como o uso de bandagens de varizes e calças de compressão;
  • Uma luta contra as áreas susceptíveis a fazer penetrar no organismo agentes patogênicos, zonas chamadas de portas de entrada cutâneas (úlceras, feridas, micoses...).

Veja também

Publicado por asevere. Última modificação: 16 de dezembro de 2014 às 14:48 por asevere.
Este documento, intitulado 'Erisipela', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.