Peso e tamanho do bebê: testes ao nascer

Julho 2017

Um bebê que acaba de nascer mede entre 45 e 55 centímetros e pesa entre 2,6 kg e 4 kg, em média. Logo após o nascimento, o bebê é colocado no colo de sua mãe para que possa descansar e entrar em contato com sua pele. Esta, por sua vez, pode aproveitar esse momento para tocar e acariciar seu bebê pela primeira vez.


Primeiros cuidados

Segundo novas recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), "os equipamentos de monitoramento do bebê devem favorecer o contato entre mãe e filho sem comprometer a segurança". Uma primeira mamada poderá ser feita a qualquer momento. O cordão umbilical é cortado nos primeiros cinco minutos após o nascimento. De acordo com o tamanho da maternidade, curso do parto, eventual descoberta de anomalias no bebê, a criança já pode permanecer de imediato com a mãe. A temperatura do bebê é monitorada e são medidos tamanho, peso e perímetro craniano do recém-nascido.

Um colírio antibiótico é pingado nos olhos do bebê para evitar conjuntivite provocada pelos germes presentes na vagina da mãe. Para permitir uma boa coagulação e evitar o surgimento de doenças hemorrágicas no recém-nascido, são dadas algumas gotas de vitamina K ao bebê. Ocorre também a desobstrução, que consiste na instalação de um tubo fino no nariz, boca e garganta do bebê para sugar o muco que pode tampar as vias respiratórias. Por fim, os orifícios do bebê são examinados. Uma sonda nasal verifica a permeabilidade das fossas nasais, uma sonda no estômago checa a ausência de malformação no esôfago e a permeabilidade do ânus também é verificada.

Teste de APGAR

O teste de APGAR permite estabelecer o estado geral e a vitalidade do bebê e detectar anomalias que exijam cuidados específicos ou uma intervenção urgente. Ele é feito quatro vezes: um minuto após o nascimento, cinco minutos depois, dez minutos e 15 minutos após o parto. Cada elemento é avaliado numa escala de 0 a 2. Quanto mais baixo for o resultado, maior atenção exige o estado do bebê. Esse teste permite verificar os seguintes fatores:

Frequência cardíaca:
Se não houver nenhum batimento cardíaco: pontuação zero.
Se o batimento cardíaco for inferior a 100: pontuação 1.
Se o batimento cardíaco for superior a 100: pontuação 2.

Respiração:
Se não houver nenhuma respiração: pontuação zero.
Se o choro é fraco: pontuação 1.
Se o choro é forte e vigoroso: pontuação 2.

Reflexos:
Se o bebê não reage: pontuação zero.
Se o bebê faz caretas: pontuação 1.
Se o bebê chora: pontuação 2.

Cor da pele:
Se a cor da pele é azul: pontuação zero.
Se o corpo está rosado, mas braços e pernas estão azulados: pontuação 1.
Se o bebê estiver todo rosado: pontuação 2.

Tônus muscular:
Se o bebê não aparenta capacidade de movimentação: pontuação zero.
Se o bebê faz qualquer movimento com braços e pernas: pontuação 1.
Se o bebê é bastante ativo: pontuação 2.

O resultado do teste de APGAR é normal se o bebê obtiver pontuação 10. A pontuação máxima significa que a criança começou a chorar forte assim que nasceu e comprova que seu ritmo cardíaco é superior a 100, sua respiração é normal e eficaz, da ordem de 40 a 60 respirações por minuto, ela tem tônus muscular e seus movimentos são ativos.

No caso de um índice de APGAR entre 7 e 10, a pele do bebê pode estar um pouco azulada. Essa anomalia pode ser provocada por um parto muito demorado. Frequentemente, a pontuação do teste melhora alguns minutos depois. Um resultado de 3 a 7 indica que o bebê está em sofrimento. Os primeiros gestos de reanimação podem ser preparados. Se o resultado do teste de APGAR for inferior a 3, o bebê é transferido para uma unidade neonatal.

Pulseira de identificação

A colocação de uma pulseira no bebê com a inscrição de seu nome e sobrenome, sexo e nome de sua mãe pode evitar alguns erros perturbadores.

Peso e tamanho do bebê

O pediatra avalia o estado geral e tonicidade do bebê. Ele verifica se o bebê está relaxado e se seus braços balançam e examina os órgãos genitais externos. Nos meninos, os testículos devem estar localizados no interior do escroto. Nas meninas, o pediatra verifica se os grandes e pequenos lábios da vagina estão bem abertos. A frequência cardíaca é novamente verificada e deve estar entre 130 e 140 batimentos por minuto. A frequência respiratória é checada e deve ser de 40 a 60 por minuto. O pediatra apalpa o abdômen do bebê. Pés e pernas são examinados. Ele mede o pulso da artéria femoral e verifica a temperatura do recém-nascido.

O exame do pescoço e clavículas permite verificar a presença de algum hematoma ou fratura de clavícula que possa ter ocorrido no parto. O médico também avalia os ossos do crânio e o aspecto de membranas e cartilagens da caixa craniana antes da completa ossificação. O pediatra verifica olhos, orelhas, nariz e boca e checa visão e audição do bebê. O médico confere se há marcas que possam ter sido provocadas por fórceps. O reflexo de encadeamento é conferido com uma luz brilhante na frente do bebê, que tem de fechar os olhos.

Por último, um exame neurológico é realizado para avaliar a tonicidade, motricidade e os reflexos do bebê, tais como reflexo automático para caminhar, reflexo de agarrar, reações dos pontos cardeais, alongamento cruzado e reflexo da nuca. Esses reflexos desaparecem pouco a pouco com o passar dos meses. O estado do cordão umbilical é checado para garantir que não há infecção e que a braçadeira umbilical, a ser removida em alguns dias, está no lugar correto.

Luxação do quadril

A coluna vertebral e os quadris são examinados. O exame dos quadris verifica a ausência de luxação provocada por anomalia de ajuste do quadril. Cerca de 0,5% das crianças apresentam luxação do quadril ao nascer ocorrida no parto. Os fatores de risco para o surgimento de uma luxação no quadril são peso elevado (superior a 4 kg), mãe com bacia estreita, nascimento pela culatra e antecedentes familiares de luxação do quadril. O pediatra pode detectar essa anomalia ao separar os joelhos do bebê após dobrar suas pernas sobre as coxas e depois sobre o abdômen. Um som característico indica um problema no encaixe da cabeça do fêmur. Uma radiografia pode ser realizada. Quando o problema é maior ou detectado apenas mais tarde, caso tenha passado despercebido no primeiro exame, poderá ser necessário usar uma cinta de segurança ou engessar o local.

Teste do pezinho

O teste do pezinho, realizado três ou quatro dias após o nascimento do bebê, utiliza uma amostra de sangue do calcanhar para pesquisar certas doenças raras, como fenilcetonúria, que provoca danos neurológicos, como retardo mental; fibrose cística, doença genética do aparelho respiratório; hipotireoidismo congênito, doença que provoca retardo mental a ser evitado com tratamento; hiperplasia renal congênita, doença frequentemente mortal que pode ser evitada com uso de corticoides; e anemia falciforme, transtorno que provoca deformação e destruição das hemácias.

Surdez num recém-nascido

Ainda não há exames sistemáticos que permitam identificar problemas de surdez da criança. Em cada mil bebês afetados, um caso ocorre em famílias sem antecedentes de surdez. Já filhos de pais surdos (um ou ambos) apresentam risco maior de também apresentarem a condição. Também são fatores de risco peso inferior a 1,5 kg, prematuridade, rubéola e toxoplasmose.

Como identificar a surdez no bebê

Identifique rapidamente os primeiros sinais de problema de audição para adotar os tratamentos necessários. Perceba se o bebê está muito calmo, parece alienado e balbucia pouco, se ele não reage ao ouvir um som violento e fixa o olhar, como se não entendesse bem. Também se deve estar atento se ele não faz muito esforço para tentar falar e apresenta um retardo na linguagem e se tem otites sucessivas ou otites que passam despercebidas.

Problemas de visão no bebê

O bebê começa a enxergar com ajuda de seus dois olhos perto dos quatro meses e meio de idade. Às vezes, ocorre de um bebê apresentar problemas de visão que o impedem de desenvolver-se adequadamente. Em média, 90% de tudo que o bebê faz deve-se à sua visão.

Número de consultas médica que o bebê deve passar

Exceto em situações de urgência ou que exijam uma consulta médica, nove exames pediátricos sistemáticos estão previstos. Eles acontecem com oito dias após o nascimento, mensalmente até o sexto mês e também quando o bebê estiver com nove meses e um ano.

Foto: © Dmitry Lobanov - Shutterstock.com

Veja também

Publicado por luis.saude. Última modificação: 25 de maio de 2017 às 11:16 por Pedro.Saude.
Este documento, intitulado 'Peso e tamanho do bebê: testes ao nascer', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.