Apendicite: sintomas, diagnóstico e tratamento

Julho 2017

A apendicite é uma inflamação do apêndice. Na maioria dos casos, o diagnóstico de apendicite é difícil de fazer e suas causas exatas ainda não estão claras. Ao que parece, está relacionada com material fecal acumulado no apêndice, causando inflamação ou infecção com pus. Uma apendicite não tratada pode evoluir para uma peritonite, infecção abdominal aguda que causa dores fortes e endurecimento do abdômen. A peritonite exige cuidados urgentes.


Sintomas da apendicite

Uma dor forte surge repentinamente à direita e na parte baixa do abdômen, onde se localiza o apêndice. A dor irradia para a perna e se agrava ao caminhar ou fazer esforço para tossir. Uma dor à esquerda do abdômen não é uma apendicite. Outros sintomas são náusea, vômito, dor de cabeça, febre moderada e prisão de ventre. Nem todos os sintomas são identificados. Náuseas e vômitos, por exemplo, nem sempre são constatados. Em caso de surgimento dos sintomas, não comer ou beber e procurar o médico com urgência ou chamar o serviço de emergência.

Peritonite

O endurecimento do abdômen indica uma complicação da apendicite para uma peritonite. A peritonite, realmente urgente, é uma infecção abdominal aguda que causa fortes dores e um abdômen muito duro ao toque. Em geral, a peritonite infecciosa generalizada começa com uma dor em um ponto específico do abdômen e que se torna difusa.

Os sintomas de peritonite são especialmente as dores, ventre duro quando apalpado, vômitos e fezes e gases parados. Deve ser feita uma internação de emergência. Consulte um médico desde o surgimento de sintomas que possam indicar uma apendicite e de maneira urgente caso haja sinais de peritonite.

Diagnóstico da apendicite

A dor abdominal localizada na parte baixa à direita representa o sinal mais comum de apendicite. Ela também pode se concentrar ao redor do umbigo, outra localização possível do apêndice. Um toque retal, exame realizado pelo médico, localiza essa dor. Os outros sintomas, como febre, náusea, prisão de ventre e vômito podem indicar outros males e exigem análise mais aprofundada para confirmação do diagnóstico.

Hemograma

Um aumento do número de glóbulos brancos indica uma infecção e conduz o diagnóstico para apendicite, mas isso não é absolutamente significativo para existência ou não da doença. De maneira geral, a realização de um exame de sangue é uma medida complementar para o diagnóstico da apendicite.

Radiografia

A radiografia do abdômen é o exame complementar mais útil que permite eliminar outros males ou confirmar o diagnóstico de apendicite.

Ecografia

Uma ecografia também é bastante solicitada: ela pode revelar uma inflamação do apêndice. Permite diferenciar a apendicite de um problema ginecológico ou urinário.

Observação

Principalmente em casos de apendicite em crianças pequenas, os especialistas recomendam que o paciente permaneça em observação para se avaliar a evolução da doença. Somente após o reexame ou, em casos graves, de dor muito forte é definida a necessidade de cirurgia.

Tratamento da apendicite

O tratamento da apendicite está numa intervenção cirúrgica chamada apendicectomia. O maior risco é que a inflamação passe despercebida e a operação não ocorra. Nesse caso, o maior risco passa a ser o surgimento de uma peritonite. O surgimento de uma dor abdominal situada abaixo à direita deve sempre ser associada a uma apendicite.

Foto: © Robert Kneschke - Shutterstock.com

Veja também

Publicado por luis.saude. Última modificação: 24 de maio de 2017 às 14:30 por Pedro.Saude.
Este documento, intitulado 'Apendicite: sintomas, diagnóstico e tratamento', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.