Câncer dos gânglios

Novembro 2017


Definição

o câncer dos gânglios, mais comumente chamado de linfoma, agrupa diversos tipos de cânceres malignos cujo ponto comum é a proliferação anárquica das células linfoides, células de defesa do organismo, mas que não vêm da medula óssea, com a diferença das leucemias nas quais a proliferação se faz a partir da medula. Entre os linfomas, distinguimos classicamente o linfoma de Hodgkin, ou doença de Hodgkin, caracterizada por um tipo celular particular (chamada célula de Reed-Sternberg), de outros tipos de linfomas chamados de linfomas não hodgquianos. A diferença entre esses é o fato de especialistas e depende do tipo celular que se multiplica. Na maioria do tempo, nenhuma causa é encontrada para explicar o surgimento de um linfo em um indivíduo, mas alguns tipos de vírus ou bactérias são associados a uma aparição no indivíduo, mas alguns tipos de vírus ou bactérias são associados a uma aparição mais comum de linfoma, principalmente nos paciente imunodepressivos, ou seja, cujas defesas imunológicas são enfraquecidas. Os linfomas podem afetar todos os órgãos do corpo humano.

Manifestações

no câncer dos gânglios, observamos sobretudo um inchaço dos mesmos. Eles são visíveis e palpáveis no pescoço, nas axilas, no tórax ou na virilha principalmente. Eles são enquanto isso indolores e móveis. Enquanto isso, o baço é geralmente aumentado em volume: falamos de esplenomegalia, e o fígado faz a mesma coisa, o que chamamos de hepatomegalia. Outros sinais são geralmente associados como uma perda de peso, fadiga, uma transpiração excessiva e febre às vezes.

Diagnóstico

o câncer dos gânglios é geralmente evocado quando encontramos gânglios inflados. O diagnóstico de certeza se faz pelo intermédio de uma punção ganglionar que permitirá, por diferentes técnicas, definir precisamente o tipo de linfoma. Um exame de sangue é então realizado para pesquisar qual é a extensão do problema e quais são os órgãos afetados pelo linfoma. De acordo com os resultados desses exames, uma classificação permitirá identificar um estado de avanço do linfoma, o que condicionará em seguida o tratamento.

Tratamento

o tratamento do linfoma dependerá da sua natureza e do seu exame de extensão. É possível, por exemplo, tratar um linfoma de Hodgkin por radioterapia externa. Vamos para isso irradiar as células cancerígenas, mas as células saudáveis em torno serão elas também particularmente destruídas, da onde vem o interesse de detalhar ao máximo o tumor. Podemos igualmente utilizar a quimioterapia, às vezes em associação com a radioterapia. Para os linfomas não hodgquianos, o tratamento se faz habitualmente unicamente pela quimioterapia, e as moléculas utilizadas dependerão do tipo de linfoma.

Veja também

Publicado por asevere. Última modificação: 16 de dezembro de 2014 às 14:48 por asevere.
Este documento, intitulado 'Câncer dos gânglios', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.