Como combater a insônia

Agosto 2017

A insônia é um distúrbio do sono primário que afeta aproximadamente um quarto dos adultos, sendo mais comum em mulheres e idosos.


Consequências da insônia para a saúde

A insônia é um problema de saúde pública. Suas implicações principais são depressão, ansiedade, doenças cardiovasculares e complicações metabólicas. É possível perceber perturbações da atenção e memória, mas também dificuldades de concentração durante o dia em pacientes com dificuldades clínicas para dormir.

Meditação ajuda a combater a insônia

A meditação pode ajudar aqueles que sofrem de insônia permitindo melhor controle do corpo e da psique. A meditação ajuda a se concentrar na visualização de imagens relaxantes e calmantes como uma praia, floresta, montanha ou imaginar sentir cheiros ou sabores associados a memórias agradáveis. Isso permite que adormecer rapidamente com uma sensação de plenitude de corpo e mente muito agradável.

Posturas que ajudam a dormir

Algumas posturas de meditação podem ajudar a relaxar seu corpo e voltar a dormir.

Posição fetal

Deite de costas e dobre joelhos e pernas contra o peito. Isso ajuda a relaxar os músculos da parte inferior das costas e dos quadris.

Posição da deusa

Sente-se com os joelhos dobrados, fazendo com que as plantas dos pés se toquem. Deite nessa posição e deixe que seus braços caiam ao longo do corpo. Isto permite um relaxamento dos músculos internos da perna.

Posição de cadáver

Deite de costas, relaxando braços e pernas lentamente. Deixe, sucessivamente, cada parte do corpo e seus músculos se liberarem enquanto se concentra em sua respiração para relaxar suas posturas corporais para ajudar a dormir.

Foto: © lenetstan - Shutterstock.com

Veja também

Publicado por luis.saude. Última modificação: 10 de agosto de 2017 às 16:30 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Como combater a insônia', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.