Ataque de pânico: sintomas e desenvolvimento

Setembro 2017

O ataque de pânico é uma condição cada vez mais comum, e afeta milhões de pessoas em todo mundo. De acordo com sua frequência e intensidade, pode inviabilizar a vida da pessoa afetada, dificultando sua vida social e a realização profissional e pessoal.


O que é um ataque de pânico

Um ataque de pânico é considerado um transtorno de ansiedade. Os afetados sofrem um ataque de ansiedade súbita, que é acompanhado por sintomas físicos, como sudorese, tremores, taquicardia etc. Este ataque de ansiedade não é causado por uma situação verdadeiramente ameaçadora.

Sintomas físicos do ataque de pânico

Um ataque de pânico é acompanhado dos seguintes sintomas: palpitações, aumento da frequência cardíaca, sudorese, rubor, dormência, formigamento, tremores, calafrios, ânsia de vômito, sufocamento na respiração, dor no peito ou no abdômen, náuseas, tonturas, desmaios, percepção anormal ou distorcida do ambiente, despersonalização (perda ou alteração da ego-consciência original e natural), medo de enlouquecer e medo de morrer.

O que fazer em um ataque de pânico

Durante uma crise de pânico, o papel de parentes e outras pessoas que estejam por perto do paciente é tentar acalmá-lo de todas as maneiras e evitar lesões e outros machucados em caso de queda por desmaio. Além disso, deve-se acionar um médico para avaliar o quadro do paciente. O uso de calmantes pode ser recomendado.

Características do ataque de pânico

Aproximadamente 1% a 2% da população mundial sofre de ataques de pânico. A doença é mais comum em adolescentes e adultos jovens. No entanto, crianças e idosos podem ser afetados. Os ataques de pânico podem ocorrer com frequência variável: enquanto algumas vítimas sofrem um ataque por ano, outras podem sofrer vários ataques em uma semana.

Evolução do ataque de pânico

O progresso é diferente em cada pessoa: em um terço dos casos, os ataques de pânico desaparecem completamente na idade adulta. Existe uma predisposição genética para a doença. Então, ter um parente de primeiro grau com a doença, eleva em sete vezes a probabilidade de tê-la. Os ataques de pânico são frequentemente associados às fobias sociais.

Tratamento do ataque de pânico

Em primeiro lugar, pacientes em crise de ansiedade devem receber calmantes para controlarem os sintomas no momento exato dos ataques. No entanto, a longo prazo o tratamento é feito com medicamentos antidepressivos, bem como acompanhamento psiquiátrico e psicológico.

Ataque do pânico tem cura

É difícil falar em cura do ataque do pânico nos casos em que o paciente experimenta crises durante a idade adulta. No entanto, o uso correto dos medicamentos e uma abordagem psicoterapêutica garantem o fim das crises e uma vida totalmente normal ao paciente.

Foto: © pathdoc - Shutterstock.com

Veja também

Publicado por Joana.Saude. Última modificação: 28 de agosto de 2017 às 12:30 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Ataque de pânico: sintomas e desenvolvimento', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.