Pré-eclâmpsia: sintomas e fatores de risco

Junho 2017

A pré-eclâmpsia é uma condição comum que ocorre durante a gravidez, associada à hipertensão arterial e proteinúria (proteína na urina). Muitas vezes benigna, esta doença pode, se não tratada, causar inúmeras complicações e provocar a morte da mãe ou da criança.


Sintomas da pré-eclâmpsia

Durante a pré-eclâmpsia, a pressão arterial se eleva e a proteinúria, que é a concentração de proteína na urina, é maior do que 300 mg em 24 horas. Também podem aparecer, isoladamente ou em combinação, um surto de hipertensão, dores de cabeça, assobio ou zumbidos nos ouvidos e dores abdominais.

Manifestações visuais são características da doença como a aparição de uma visão turva, pontos estranhos ou cegueira súbita. Além disso, pode haver edema na face, dedos das mãos e corpo, que podem ser acompanhados por um aumento no peso de vários quilos em poucos dias.

Fatores de risco para pré-eclâmpsia

Ser a primeira gravidez, a presença de antecedentes de pré-eclampsia durante uma gravidez anterior ou antecedentes de familiares com pré-eclampsia, hipertensão arterial, obesidade, doença renal, diabetes, síndrome do ovário policístico e doenças autoimunes representam os principais fatores de risco, assim como a idade da mãe. Na verdade, uma mulher com menos de 18 anos de idade ou mais de 40 anos de idade são mais propensas a desenvolver esta doença.

Complicações da pré-eclâmpsia

A pré-eclâmpsia pode evoluir rapidamente, especialmente durante o terceiro trimestre da gravidez e causar sérias complicações em 10% dos casos, afetando o prognóstico da mãe e seu bebê em um curto prazo.

Pode aparecer uma eclampsia que causa convulsão ou coma, um descolamento da retina que pode levar à cegueira, hemorragia cerebral que é a principal causa de morte materna, ruptura do fígado, insuficiência renal na mãe, desprendimento da placenta causando hemorragia interna. Este acidente é indicação de um parto de urgência.

Diferença entre eclampsia leve e grave

É necessário saber se uma mulher grávida que apresenta uma pressão arterial] de 140 mm Hg e 90 mm Hg e proteinúria tem uma forma leve de eclampsia. Em caso de aumento da pressão arterial e proteinúria (proteína na urina), ela padece de pré-eclâmpsia leve. A presença de proteinúria e pressão arterial superiores a 160 mm Hg e 110 mm Hg, problemas com a visão, dores de cabeça e dor abdominal indica pré-eclâmpsia grave. Em todos os casos, a opinião do médico é indispensável.

Foto: © Maksim Shmeljov - 123RF.com 

Veja também

Publicado por Joana.Saude. Última modificação: 20 de junho de 2017 às 10:11 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Pré-eclâmpsia: sintomas e fatores de risco', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.