Causas e tratamento das alucinações

Novembro 2017

Existem diversos tipos de alucinações: auditivas, visuais, olfativas e cenestésicas. Em geral, elas são resultado de problemas mentais, mas também podem ser causadas por doenças ou casos de abuso químico.


Causas e fatores de risco

As alucinações resultam geralmente de problemas mentais, como a psicose alucinatória, depressão, estado de choque emocional e esquizofreina. A pessoa pode ter consciência do seu problema ou não saber que passa por uma alucinação. Certas doenças crônicas ou infecciosas, o abuso de álcool e outras drogas e distúrbios do sono também fazem parte dos fatores de risco das alucinações.

Diferentes tipos de alucinação

As alucinações podem afetar um ou mais sentidos. No entanto, as mais comuns são as auditivas e visuais. A duração e complexidade do tratamento também variam de caso para caso.

Alucinações auditivas

As alucinações auditivas produzem a percepção de um som, música ou voz na cabeça do paciente. Podem ser ruídos simples (como cliques ou batidas) ou complexos (como uma música específica). As alucinações auditivas podem ser provocadas por um problema mental agudo ou crônico como a esquizofrenia. Também são fatores o uso de certos medicamentos ou situações de estresse. Em casos de problemas mentais, é importante estar atento se a pessoa demonstra estar escutando algo ou se conversa sozinha.

Alucinações visuais

As alucinações visuais podem ser aparições simples (como formas ou cores) ou complexas (como pessoas e personagens). Essas alucinações tendem a ser causadas por abuso de substâncias químicas ou álcool, bem como por doenças neurodegenerativas ou distúrbios do sono.

Alucinações olfativas

As alucinações olfativas e gustativas podem estar associadas a odores e gostos agradáveis ou desagradáveis. São menos precisas que as alucinações auditivas e visuais e podem ser provocadas por alterações no sistema olfativo e gustativo, como infecções virais, tumor cerebral, exposição a certas drogas e dores de cabeça persistentes.

Alucinações táteis

As alucinações táteis geram sensações de calor ou frio, de queimaduras, picadas e manchas na pele. Elas podem levar o paciente a coçar o braço até sangrar, por exemplo.

Alucinações cenestésicas

As alucinações cenestésicas são descritas como uma sensação de intrusão no corpo do paciente. Em alguns casos, por exemplo, a pessoa pode acreditar que uma parte do seu corpo está se transformando e tomando uma nova forma.

Alucinações durante o sono

Diversos distúrbios podem fazer o paciente sofrer com alucinações durante o sono ou assim que acordar. Os problemas vão desde febre alta (superando os 40ºC) até a paralisia do sono, distúrbio no qual o paciente acorda apenas com os movimentos dos olhos e músculos respiratórios e sofre alucinações por alguns minutos.

Diagnóstico das alucinações

As alucinações podem ser disparadas por problemas mentais bem como outros distúrbios neurológicos (encefalite, epilepsia), intoxicações, doenças crônicas, como a insuficiência renal e hepática, doenças infecciosas (paludismo, sífilis) ou doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson. Portanto, apenas um especialista pode fazer um diagnóstico correto das alucinações e sua causa.

Tratamento das alucinações

O tratamento depende da causa das alucinações relatadas pelo paciente. É necessário identificar a origem do problema para depois agir sobre ele. Em casos de problemas mentais, o tratamento convencional se dá por meio de medicamentos antipsicóticos, eventualmente associados a ansiolíticos e acompanhamento de um especialista. Já para problemas orgânicos, é preciso efetuar o tratamento da doença responsável pelas alucinações. Se elas forem causadas pelo uso de algum medicamento, o correto é modificar a substância utilizada.

Foto: © Zdenka Darula - 123RF.com

Veja também

Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 18 de abril de 2017 às 15:45 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Causas e tratamento das alucinações', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.