Presença do pai no parto: contra ou a favor

Agosto 2017

O nascimento do bebê é um momento que muitas mulheres desejam viver sem a presença do parceiro na sala de parto. Por outro lado, muitos pais se negam a acompanhar o nascimento de seu filho. Veja os argumentos a favor e contra a presença de pais na sala de parto.


Argumentos favoráveis

Filho é produto da relação

O argumento central das mulheres que querem a presença de seus parceiros na sala de parto é que um filho, apesar de ser carregado por ela durante nove meses, é fruto da relação, foi feito a dois e deve ser assim da concepção até o nascimento. Para elas, a presença do pai é importante na última etapa da gestação.

Suporte inigualável para mãe

O futuro pai que acompanha sua parceira na sala de parto não conhece os poderes que tem. Ele é responsável por encorajar, distrair e apoiar a mulher somente com a sua presença. Sua ajuda se torna ainda mais fundamental em caso de problemas durante o parto. Sua mão na testa da gestante acalma e até a dor se torna menos desagradável. Mulheres que passaram por cesariana sem o parceiro ao lado se sentem solitárias durante a cirurgia.

Aumento da cumplicidade

Para a maioria das mulheres que exigem a presença do parceiro no parto, ele é a pessoa de confiança por excelência e a única com a qual a gestante deseja compartilhar o momento do nascimento do bebê. O pai se torna a referência afetiva em meio ao grupo de profissionais que cercam a parturiente.

A cumplicidade do casal aumenta e a visão de um sobre o outro muda. O homem ganha um respeito enorme pelo corpo da mulher e todas as outras mães. A mulher passa a admirar o auto-controle do parceiro num momento de grande estresse.

Etapa para se tornar pai

A primeira visão, as primeiras lembranças, os primeiros cuidados com o bebê. Para muitas mães, a presença do parceiro na hora do parto permite que ele se invista concretamente na gravidez. Elas garantem que ver o corte do cordão umbilical, dar o primeiro banho são etapas cruciais da transformação do homem em pai.

Momento de forte emoção

Os adjetivos geralmente utilizados por mulheres para descrever o momento do parto são mágico, maravilhoso, inesquecível. E elas defendem que o pai deve compartilhar dessa experiência e estar presente na hora que a família ganha um novo membro.

Argumentos contrários

Peso na sala de parto

De acordo com muitas mulheres, um homem impressionado com o parto pode acabar exigindo cuidados da equipe médica e deixar a gestante desamparada. Homens impacientes, medrosos e que não gostam de ver sangue não devem frequentar a sala de parto sob risco de se tornar um fardo para a equipe médica e, principalmente, sua companheira.

Teste difícil para um homem

O cheiro da sala de parto e do hospital, o sangue, o choro e os gritos, as dores sentidas pela mulher. Tudo isso pode ser uma situação muito maior do que um homem é capaz de lidar, explicam as mulheres contrárias à presença. Parte delas aponta que seus parceiros se chocaram com um certo aspecto de matadouro da sala de parto.

Trauma para a sexualidade masculina

A menos que a mulher mantenha o parceiro ao seu lado durante todo o processo, as imagens da expulsão do bebê pela vagina da mulher podem traumatizar o homem. Segundo elas, o momento do parto possui um lado anti-glamour que pode retirar o desejo sexual do homem após o nascimento.

Trauma para a sexualidade feminina

Lado às vezes pouco conhecido, a perda de libido por parte das mulheres também é possível após o parto. Parte delas relata que a relação se deteriorou após a presença do parceiro no momento do nascimento, pois elas se lembravam daquele momento a qualquer toque ou olhar do pai.

Foto: © Denys Prokofyev - 123RF.com

Veja também

Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 23 de junho de 2017 às 07:23 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Presença do pai no parto: contra ou a favor', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.