Combatendo os calores da menopausa

Dezembro 2017

Os calores da menopausa são provocados por modificações hormonais que a mulher passa ao entrar neste período da vida. Na menopausa, a produção de estrogênio cai de maneira acentuada, o que desajusta os mecanismos orgânicos de regulação da temperatura corporal. Difíceis de erradicar, os calores tendem a se prolongar por três a cinco anos após o fim das menstruações, sempre surgindo de modo irregular. Cerca de 70% das mulheres na menopausa sofrem com os calores.


Diagnóstico dos calores da menopausa

Os calores são considerados normais em mulheres na menopausa. O médico deve buscar descobrir suas causas quando a mulher segue menstruando. Nesse caso, a dosagem hormonal deve ser feita pois há risco de doenças na hipófise e tireoide, glândulas que secretam hormônios sexuais.

Sintomas dos calores da menopausa

Os calores da menopausa se manifestam normalmente com sensações de calor intenso e suor excessivo no rosto e colo. Eles tendem a aparecer e passar de maneira súbita. Os calores também podem causar vermelhidão pelo corpo e, raramente, tontura. Eles ocorrem com maior frequência durante a noite.

Tratamento dos calores da menopausa

O tratamento mais prescrito contra os calores da menopausa são de reposição hormonal para combater o déficit hormonal provocado pelo fim da atividade dos ovários no fornecimento de estrogênio e progesterona para o organismo. Mulheres que já sofreram com câncer de mama e trombose não podem passar por esse tratamento.

Prevenção dos calores da menopausa

Os calores da menopausa podem ser evitados ou ter seus efeitos reduzidos como uma alimentação equilibrada, redução do consumo de álcool, tabaco, café e refrigerantes. Evitar situações de estresse e exposição excessiva ao calor também auxiliam no combate aos calores da menopausa.

Foto: © Dmytro Buianskiy - 123RF.com
Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 14 de agosto de 2017 às 13:21 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Combatendo os calores da menopausa', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Afta: causas e fatores de risco
Como evitar problemas auditivos