Quando consultar um ginecologista

Novembro 2017

Os ginecologistas são profissionais especializados em tratar doenças que afetam o sistema reprodutor da mulher. Consultar um ginecologista para uma revisão anual é essencial para prevenir a maioria das patologias ginecológicas.


Quando consultar um ginecologista

É preciso consultar um ginecologista quando a mulher sofre com problemas menstruais, da menopausa e sexuais, incômodo nas mamas (dores, inchaço, surgimento de nódulos) e para identificar problemas relacionados à fertilidade. Além disso, mulheres com doenças sexualmente transmissíveis e outras condições afetando órgãos reprodutores (ovário policístico, endometriose, mioma uterino, entre outros) também devem buscar um especialista. Por fim, tanto o controle de natalidade quanto o acompanhamento de gestantes e lactantes deve ser feito por ginecologista.

Frequência de consultas ao ginecologista

Toda mulher deve visitar seu ginecologista ao menos uma vez por ano. Essa frequência, no entanto, deve ser alterada no caso de gravidez, problemas com o método contraceptivo selecionado e outras situações que possam surgir entre um encontro e outro. Nas consultas de rotina, o especialista fará um exame de rotina e prescreve exames preventivos (como Papanicolau e mamografia, dependendo da idade da mulher), além de outras análise em caso de suspeita de algum problema.

Alternativas ao ginecologista

Em certas regiões mais afastadas dos grandes centros, a ausência de um ginecologista pode ser suprida por médicos da família ou clínicos gerais. Para acompanhamento de grávidas e realização de partos, diversas cidades brasileiras contam com as chamadas parteiras.

Foto: © Rob Stark - Shutterstock.com
Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 7 de março de 2017 às 11:53 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Quando consultar um ginecologista', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.