Candidíase vaginal em mulheres grávidas

Janeiro 2018

A candidíase vaginal é uma forma comum de infecção vaginal que afeta particularmente as grávidas. Sua principal causa é a presença da Candida albicans, fungo microscópico do gênero cândida. No entanto, a presença destes micro-organismos na vagina e no duto intestinal é normal, podendo se converter em problema quando sua quantidade cresce tão rapidamente que prevalecem sobre a flora bacteriana da região.


Risco aumentado para grávidas

Durante a gravidez, o organismo produz uma quantidade maior de estrogênio, o hormônio sexual. Esta substância faz com que os fungos C. albicans cresçam mais rápido e se fixem com mais facilidade às paredes da vagina.

Antibióticos causadores

Consumir antibióticos frequentemente ou durante um período prolongado também aumenta a probabilidade de se sofrer de candidíase vaginal. Esta classe de medicamentos, além de matar as bactérias que está combatendo, afeta as bactérias que habitualmente compõem a flora vaginal e protegem a região de infecções.

Sintomas da candidíase vaginal

Os sintomas da candidíase vaginal incluem coceira, irritação, dor, vermelhidão da vagina e lábios vaginais e inchaço ocasional. Também ocorre a produção de corrimento vaginal inodoro, branco e leitoso. Algumas mulheres experimentam incômodos e dores durante as relações sexuais e ardor ao urinar.

Tratamento em grávidas

É aconselhável ir ao ginecologista quando aparecem os primeiros sintomas para a coleta de amostra do corrimento para análise e confirmação do diagnóstico. Assim, o especialista poderá descartar a hipótese de outras infecções que podem provocar sintomas similares. Em geral, o tratamento é feito com cremes ou supositórios antifúngicos porque durante a gravidez não devem ser tomados fungicidas por via oral. A paciente começará a notar a melhoria em poucos dias. Porém, caso a medicação provoque irritação e não apresente resultado é necessário voltar ao médico para a mudança do remédio.

Soluções caseiras

É possível reduzir a coceira e irritação da vagina com aplicação de uma compressa de água gelada ou submersão da áreas durante dez minutos em banheira.

Automedicação contra candidíase

Apesar dos cremes fungicidas serem vendidos sem prescrição médica, não é recomendável a prática de automedicação por grávidas com candidíase vaginal já que a causa da micose pode ser uma infecção de outra natureza - bacteriana, viral ou uma doença sexualmente transmissível. Estudos indicam que a maioria das mulheres que se automedicam por uma suposta candidíase vaginal não acertam a causa real da infecção de modo que conseguem apenas retardar a aplicação do tratamento apropriado.

Foto: © Barabasa - Shutterstock.com
Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 11 de janeiro de 2018 às 10:59 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Candidíase vaginal em mulheres grávidas', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Efeitos do ecstasy (MDMA) sobre a saúde
Hormônio do crescimento (GH)