Doença de Lyme: sintomas e tratamento

Dezembro 2017

A doença de Lyme é uma condição provocada pela bactéria Borrelia burgdorferi transmitida através da picada do carrapato-estrela. Os membros inferiores são os mais mordidos pelo carrapato, mas todas as partes do corpo, incluindo o couro cabeludo, são afetados. A doença de Lyme evolui em três estágios que apresentam gravidade diferente de pessoa para pessoa.


Sintomas da doença de Lyme

Estágio 1 da doença

O principal sintoma do estágio 1 da doença de Lyme são manifestações cutâneas, chamadas de eritema migratório. Este quadro afeta 75% dos pacientes com a doença. Estas manchas aparecem cerca de três dias após a picada do carrapato-estrela e a princípio apenas em volta, num raio de mais ou menos 5 centímetros, do local picado.


A região não fica dolorosa nem coça e a principal característica é a sensação de aquecimento na área afetada. Em alguns casos, a lesão pode passar despercebida. Em média, o tratamento é capaz de fazer o eritema desaparecer em até sete dias. A erupção cutânea pode ser acompanhada de quadro gripal como febre, fadiga, dores musculares e de cabeça, calafrios, artralgia e aumento do volume dos gânglios linfáticos.

Estágio 2 da doença

No segundo estágio da doença de Lyme, é possível observar sintomas como fadiga extrema, dores articulares intensas, dor de cabeça e atrás dos olhos, irritação ocular, erupções cutâneas e irregularidade do ritmo cardíaco.

Se a doença continua a progredir nesta etapa devido à ausência de tratamento, a infecção começa a afetar outros órgãos do corpo. Nesse momento, surgem distúrbios do sono, episódios de taquicardia, agravação da fadiga, dores cada vez mais incapacitantes, dores ao mastigar, problemas de visão, dificuldade de efetuar esforços físicos e dores nos braços, costas e pernas.

Estágio 3 da doença

Durante o estágio 3 da doença de Lyme, que pode se prolongar por anos, as manifestações presentes no estágio anterior se agravam e outros sintomas aparecem. O mais frequente deles é a artrite de Lyme, que corresponde a quadros de artrite de evolução crônica. Também há sintomas neurológicos, que podem surgir de quatro a seis semanas após o início da infecção, tais como dores violentas e formigamentos à noite na região da picada.

Outros sintomas são problemas de visão, orientação e concentração, perdas de memória, quadros agressivos e depressão, motivada especialmente pela combinação de dores pelo corpo e incapacidade. Na fase 3 da doença, também podem ocorrer infecções urinárias, dores intestinais e diarreias. As dores musculares se estendem aos tendões complicando em grande medida a locomoção e a vida cotidiana dos pacientes.

Estágio final da doença

Alcançar este estágio da doença de Lyme significa a ausência de tratamento total ao longo de alguns meses. As manifestações cutâneas se estendem pelo corpo e sua coloração avermelhada vai se tornando preta e a pele se atrofia. Este quadro pode conduzir a lesões características do linfoma cutâneo benigno e da doença de Pick-Herxheimer. Os episódios de artrite continuam a evoluir e quadros de encefalomielite podem ocorrer.

Diagnóstico da doença de Lyme

Por apresentar sintomas pouco específicos, a doença de Lyme é de difícil diagnóstico. O importante é procurar um médico caso você tenha sido picada por um carrapato e, principalmente, se estiver sofrendo com dormências nos membros e erupções cutâneas. Alguns exames laboratoriais confirmam o diagnóstico, mas sua realização só é segura passadas algumas semanas da infecção. Antes disso, há risco de falso negativo.

Tratamentos para doença de Lyme

Para evitar os estágios avançados da doença de Lyme, é preciso realizar o tratamento correto. Este consiste basicamente no uso de medicamentos antibióticos. No entanto, se alguns sintomas persistirem após o término da terapia, é necessário retornar ao médico para receber novas instruções. Em geral, outras classes de remédios são prescritas para combater os sintomas remanescentes. Acredita-se que a resposta autoimune de algumas pessoas à doença seja o que estimula a manutenção dos sintomas.

Doença de Lyme tem cura

Na grande maioria dos casos, a doença de Lyme não provoca complicações graves ou avança para além do estágio 2. A taxa de cura é alta com a realização integral do tratamento com antibióticos.

Doença de Lyme em cães

Os cachorros também podem ser afetados pela doença de Lyme. Além deles, cavalos, vacas e bois estão sujeitos à picada do carrapato. Entre os animais, a doença pode provocar desde quadros simples de artrite até encefalite (inflamação do encéfalo) que pode provocar a morte.

Doença de Lyme no Brasil

Como o carrapato-estrela não existe no Brasil - sendo comum apenas em regiões de floresta temperada da Europa e Estados Unidos -, a doença de Lyme não ocorre no país, mas outras espécies de carrapato provocam doenças bastante similares.

Foto: © Martin Pelanek - Shutterstock.com

Veja também

Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 25 de outubro de 2017 às 11:51 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Doença de Lyme: sintomas e tratamento', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Complicações possíveis das varizes
Terapias manuais: fisioterapia, osteopatia e etiopatia