Leucemia infantil: causas, sintomas e tratamento

Novembro 2017

A leucemia é uma modalidade de câncer que afeta a medula óssea do paciente. Esta doença afeta adultos, mas é a doença maligna mais comum entre as crianças. Entenda as diferenças da leucemia infantil para a forma que ataca adultos, seus fatores de risco e como é realizado o tratamento da doença em pacientes menores de idade.


Diferença da leucemia em crianças e adultos

Não apenas a leucemia como todos os tipos de câncer costumam apresentar características diferentes em crianças e adultos. Geralmente, os cânceres infantis possuem melhor resposta aos tratamentos quimioterápicos e a taxa de sobrevida de crianças é maior que a de adultos. Em média, 80% das crianças e adolescentes com leucemia linfoide aguda (LFA) são curadas e essa taxa varia de 50% a 70% nos casos de leucemia mieloide aguda (LMA).

Além disso, existem diversos centros no Brasil - públicos ou privados - especializados no atendimento, internação e tratamento de crianças com câncer. Nestes locais, os pequenos serão tratados por equipes multidisciplinares, que auxiliarão as famílias e conhecerão as particularidades do câncer infantil.

O que causa a leucemia infantil

Na maioria dos casos de crianças com leucemia, não é possível definir a causa exata do problema. No entanto, médicos já perceberam que alguns aspectos genéticos são fatores de risco para uma criança ou adolescente desenvolver a doença, tais como síndrome de Down, síndrome de Klinefelter (exclusiva do sexo masculino), algumas doenças hereditárias e histórico familiar da doença, principalmente um irmão.


Além disso, mulheres que fazem uso de álcool durante a gestação podem aumentar as chances de seu filho ter leucemia nos primeiros anos de vida. Também são fatores de risco a exposição a produtos quimioterápicos durante a infância - para tratamento de outro câncer - e uso de medicamentos imunossupressores (para supressão do sistema imunológico, comumente utilizados em crianças que necessitaram passar por um transplante de órgãos.

Alguns outros fatores de risco têm sido estudados nos últimos anos, mas ainda carecem de comprovação científica, como histórico de tabagismo dos pais, exposição a solventes e outros produtos químicos pelo pai, exposição aos hormônios da pílula anticoncepcional pelo feto, infecções no início da vida e idade da mãe ao parir.

Sintomas da leucemia infantil

Em geral, os sintomas da leucemia infantil são os mesmos apresentados por adultos. São eles: anemia e consequente palidez, febre, dor óssea, perda de peso, fadiga intensa, mal-estar, infecções, hemorragias, hematomas e, principalmente, aumento do fígado e do baço.

Tratamento da leucemia infantil

A ocorrência destes sintomas deve levar os pais a procurarem um médico pediatra que poderá avaliar a situação e prescrever os exames adequados ao diagnóstico. O tratamento também é feito de maneira similar ao da leucemia em adultos, com uso de radioterapia, quimioterapia e, quando possível, transplante de medula óssea a partir de um doador compatível.

Leucemia infantil tem cura

Sim, a leucemia infantil tem cura e, como já visto, seu prognóstico geralmente é melhor do que se a doença for detectada em adultos. Para ficar curada a criança precisa passar pelos tratamentos adequados, que podem levar tempo. O apoio da família e da equipe médica envolvida no tratamento é fundamental para promover a cura da doença.

Prevenção da leucemia infantil

Diferentemente de diversos tipos de câncer em adultos, que podem ser em parte prevenidos com a adoção de hábitos de vida saudáveis, a aparição de câncer em crianças e adolescentes não conta com formas de prevenção. Por conta disso, o ideal é realizar visitas médicas regulares caso o seu filho tenha algum dos fatores de risco apresentados acima para antecipar o diagnóstico e, assim, aumentar as chances de cura da doença.

Foto: © Mat Hayward - Shutterstock.com
Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 20 de outubro de 2017 às 16:23 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Leucemia infantil: causas, sintomas e tratamento', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.