Endermoterapia: quando e por que fazer

Setembro 2017

A endermoterapia ou vacuoterapia é um procedimento estético, realizado com aparelhos de sucção e rolamento, para eliminar toxinas, reduzindo assim a celulite e a gordura localizada.


Origem da endermoterapia

Criada na França, em 1970, a endermoterapia era feita com dois roletes móveis associados com um equipamento de sucção a vácuo, que promovia o massageamento dos tecidos. Utilizada a princípio em pacientes queimados, essa técnica não invasiva foi estendida para casos de celulite.

Como funciona a endermoterapia

Esse método de tratamento age sobre os tecidos pelo princípio do palpar rolar, fazendo uma massagem profunda na pele e no tecido subcutâneo, o que estimula a vascularização e a eliminação de toxinas. Ao reduzir a retenção de líquidos, a endermoterapia reduz volume e potencializa a lipólise nos níveis profundos de gordura.

Contraindicações da endermoterapia

As principais contraindicações da endermoterapia, um tratamento estético que ajuda a reduzir a celulite e a eliminar a gordura localizada, são observadas nos casos de pessoas com problemas circulatórios graves, tais como flebite ou trombose venosa profunda, que não podem se submeter à endermoterapia, bem como pacientes de câncer, reumatismo, obesos, diabéticos, hipertensos, que possuam lesões na pele e gestantes.

Possíveis dores de endermoterapia

Esse tipo de tratamento não dói, porém pode causar um certo desconforto, que é minimizado com o uso de uma roupa especial, que facilita o deslizamento do aparelho.

Quantas sessões de endermoterapia são necessárias?

Cada caso deve ser avaliado de forma individual, porém, para tratamentos estéticos contra a celulite, recomendam-se dez sessões de 35 a 45 minutos, três vezes por semana, até que os sintomas melhorem ou desapareçam.

Corrente russa

Assim como a endermoterapia, a corrente russa é um tratamento estético que promove o aumento do volume muscular e eliminação de gorduras, sendo muito utilizada nos tratamentos para perder gordura abdominal. Esse aparelho de eletroestimulação melhora a circulação sanguínea e combate a flacidez.

Foto: © Artem Furman - 123RF.com

Veja também

Publicado por Natali_CCM. Última modificação: 31 de agosto de 2017 às 12:58 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Endermoterapia: quando e por que fazer', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.