Alimentos que causam gases

Junho 2017

Algumas pessoas sofrem mais, outras menos. Mas o fato é que alguns alimentos causam gases em nosso organismo, podendo gerar desconfortos e constrangimentos.


Alimentos que causam gases

Feijão e grão-de-bico são os alimentos que mais causam gases. Isso acontece devido à elevada quantidade de fibras e carboidratos presentes nestes produtos e que fermentam durante a digestão. Embora esse sintoma não seja observado em todas as pessoas, grande parte dos indivíduos que consomem esses alimentos sofrem com gases posteriormente.

Sintomas dos gases

Geralmente, a formação de gases gera inchaço e dor abdominal, além da esperada expulsão de gases pelo ânus. A ingestão de ar enquanto se come ou bebe também pode gerar gases, que são expelidos do estômago por meio de arrotos. É possível prevenir esse tipo de gases comendo devagar e com a boca fechada.

Outros alimentos que provocam gases

Além do feijão e do grão-de-bico, alimentos como ervilha, milho, repolho, brócolis, cebola, abacate, melão, iogurte, ovos e couve-flor também podem gerar um desconforto intestinal causado pelos gases.

Alimentos que causam gases no bebê

Basicamente, os alimentos que causam gases nos bebês são os citados acima, além do leite, é claro. Nos momentos em que a mãe perceber que o bebê está com gases, recomenda-se diminuir a ingestão desses alimentos e substitui-los por frutas para reduzir os gases e as cólicas do bebê.

Como combater os gases

A ingestão de bastante água e um chá de erva-doce, remédio natural contra gases, é uma das recomendações para combater o efeito dos gases no organismo. Em alguns casos, faz-se necessária a ingestão de medicamentos antigases.

© Andriy Popov - Shutterstock.com

Veja também

Publicado por Natali_CCM. Última modificação: 8 de junho de 2017 às 12:25 por IsraelCCM.
Este documento, intitulado 'Alimentos que causam gases', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.