Como parar de fumar

Novembro 2017

Muitas pessoas já tentaram inúmeras vezes parar de fumar, porém, se não forem bem acompanhadas e tiverem disciplina, essa meta pode ser um tanto quanto desafiadora e difícil de ser atingida. Há diversas maneiras de se parar de fumar, que listamos a seguir:


Antes de parar

O terapeuta deve propor o fim do hábito de fumar sem precipitações. É recomendável agendar visitas regulares - cinco por ano, no mínimo - e oferecer ajuda integral. Os pacientes devem igualmente ser informados dos riscos e complicações ligados ao tabagismo. O tratamento precisa ser adaptado aos hábitos e motivações do paciente.

Durante o tratamento

O médico deve receber o fumante oito dias após o início do tratamento para detectar possíveis sintomas da síndrome de abstinência e adaptar o tratamento se for necessário. Um acompanhamento mensal durante três a seis meses para investigar estes sintomas e sua evolução, além de verificar peso, qualidade do uso, bom uso dos substitutos nicotínicos e observar possíveis sintomas depressivos.

Após parar

Nesta fase, consultas mensais permitem ao médico garantir que o hábito foi interrompido e prevenir possíveis recaídas. Estas, se ocorrerem, não devem ser tão comentadas quanto as pequenas vitórias alcançadas nos dias sem cigarro.

Parar de fumar naturalmente

O consumo de alguns alimentos auxilia no processo de parar de fumar. Um deles é a aveia que reduz a vontade fumar. Além disso, carnes, ovos e café aceleram o processo de eliminação da nicotina do corpo. Uma das receitas caseiras mais recomendadas para fumantes que pretendem abandonar o hábito é comer uma pequena cenoura toda vez que sentir vontade de fumar. Além disso, alguns chás, tais como o chá de valeriana ou de raiz de cálamo podem ajudar a abandonar o hábito.

Tratamentos para parar de fumar

Substitutos nicotínicos

Tratamento mais bem avaliado por especialistas e recomendado em boa parte das estratégias terapêuticas para abandono do vício em cigarros, os substitutos nicotínicos são vendidos em diferentes formas, como adesivos de pele, gomas de mascar, pastilhas, inaladores e spray bucal. Com os substitutos, o risco de overdose é raro, mas, por outro lado, há possibilidade de dosagem abaixo do necessário, o que pode provocar o fracasso do tratamento.

Remédios para parar de fumar

Alguns remédios, como a bupropriona e a vareniclina, podem ser prescritos por um médico. O primeiro é um antidepressivo tão eficaz quanto os substitutos nicotínicos. Porém, ele é contraindicado para pessoas com tendência a convulsões. Já a vareniclina deve ser receitado em caso de insucesso no tratamento com os substitutos nicotínicos e deve ser tomada por até 12 semanas.

Terapia cognitivo-comportamental

As terapias cognitivo-comportamentais (TCC) podem contribuir para a manutenção da interrupção e prevenção de recaídas graças à aprendizagem de novos comportamentos e hábitos.

Meios alternativos

Há ainda outras formas de se abandonar o fumo, tais como o uso de cigarros eletrônicos. No entanto, por conter altas taxas de produtos tóxicos, sua eficácia e segurança não é garantida. Por isso, a terapia com cigarro eletrônico só deve ser estimulada em caso de fracasso de todas as anteriores. Existem também tratamentos baseados em mesoterapia, acupuntura, hipnose, entre outros, cuja eficácia não está comprovada pela ciência, mas que podem ser utilizados de acordo com o interesse do paciente.

Dependência ao tabaco

A dependência ao tabaco resulta geralmente em dependência física, comportamental e psicológica. O tratamento deve ser adaptado à importância de cada uma delas sobre o fumante. Aqueles que, junto com cigarro, são dependentes de outras drogas devem também combater os demais vícios durante o tratamento.

Tabagismo passivo

O fumo passivo aumenta os riscos de cardiopatia isquêmica e câncer de pulmão. Por conta disso, a interrupção do hábito de fumar traz benefícios para toda a família do fumante que, a depender do seu hábito de fumar dentro de casa, deve ser avaliada por um médico sobre os possíveis efeitos do tabaco sobre sua saúde.

Parar de fumar e não engordar

É bastante possível que uma pessoa engorde ao parar de fumar. Isso acontece porque, de uma maneira pouco saudável, muitas pessoas acabam se alimentando em menor quantidade por conta do hábito de fumar. Assim, ao abandonarem o tabaco, passam a fazer mais lanches e, consequentemente, engordar. Além disso, algumas pessoas acabam descontando a abstinência do cigarro em alimentos pouco saudáveis como balas, biscoitos e chocolates.

Por isso, é importante que o tratamento contra o tabagismo seja acompanhado de um processo de reeducação alimentar - com um nutricionista, dependendo do caso - para que a pessoa não cometa um desses dois erros descritos.


Foto: © ljupco- 123RF.com
Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 13 de outubro de 2017 às 08:06 por Natali_CCM.
Este documento, intitulado 'Como parar de fumar', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.