Aneurisma: causas, sintomas e tratamento

Novembro 2017

Aneurisma é a denominação de uma fragilidade na parede de um vaso sanguíneo que leva à formação de uma protuberância e pode se romper a longo prazo. Há diversos tipos de aneurisma, mas o mais frequente é o aneurisma cerebral.


Causas do aneurisma

Os aneurismas surgem quando há uma região enfraquecida na parede de um vaso sanguíneo. Eles podem ter origem congênita ou se desenvolverem mais tarde. Ainda não foi esclarecido o motivo que leva ao surgimento de um aneurisma, mas alguns fatores de risco já foram identificados, tais como hipertensão, tabagismo e colesterol alto.

Tipos de aneurisma

Em geral, um aneurisma pode se formar em qualquer vaso sanguíneo do corpo. No entanto, algumas formas são mais frequentes. Veja algumas delas abaixo.

Aneurisma cerebral

O aneurisma cerebral pode ser do tipo sacular, sacular gigante ou sacular múltiplo. Há ainda o aneurisma fusiforme, quando há o alargamento de um vaso sanguíneo inteiro. O aneurisma cerebral pode ocorrer em qualquer vaso sanguíneo que alimente o cérebro e pode ser causado por hipertensão arterial, traumas e infecções que lesem o vaso.

Aneurisma de aorta

Um aneurisma da aorta é uma área dilatada na parte superior da artéria aorta, a maior do corpo humano. Embora não costume apresentar sintomas, o aneurisma cardíaco pode gerar dores no peito, falta de ar, tosse e rouquidão.

Aneurisma abdominal

Esse tipo de aneurisma se caracteriza pela dilatação da artéria aorta na altura do abdômen. Quando descoberto a tempo, o aneurisma da aorta abdominal, que acomete cerca de 4% da população, pode ser curado.

Sintomas de aneurisma

Em alguns casos, uma pessoa pode ter um aneurisma sem apresentar sintomas. Nesses casos, apenas uma ressonância magnética ou uma tomografia computadorizada poderá detectá-lo. Entretanto, se houver ruptura do aneurisma, causando sangramento no cérebro, por exemplo, os sintomas podem incluir dores de cabeça, perda de visão, dor nos olhos e no pescoço, náuseas e vômitos, perda de consciência, fotofobia e convulsões.

Exames para detectar um aneurisma

Um aneurisma, independente do local em que ocorrer, pode ser detectado por exames como tomografia computadorizada, ressonância magnética e angiografia.

Tratamento do aneurisma

A forma mais comum de reparar um aneurisma é a clipagem. Nessa cirurgia, uma espécie de clipe é preso ao aneurisma, impedindo que ele se rompa e ocorra o vazamento do sangue. Outras cirurgias, principalmente a chamada embolização endovascular, também podem ser realizadas. Por outro lado, formas mais brandas de aneurisma devem apenas ser acompanhadas por um médico especialista, que também está apto a prescrever medicamentos como anticoagulantes.

Riscos do aneurisma cerebral

Normalmente, a ruptura dos aneurismas cerebrais é fatal. Cerca de 25% das pessoas morre em 24 horas e outras 25% morrem em cerca de três meses. Dos que sobrevivem, mais de 25% apresenta algum tipo de incapacidade permanente.

Sequelas do aneurisma

Aneurismas cerebrais que se rompem podem deixar sequelas importantes no paciente, tais como perdas cognitivas (dificuldades de fala, raciocínio e atenção), dificuldades de locomoção, perda da visão e outros distúrbios visuais e dificuldade no controle do esfíncter urinário e anal.

Aneurisma cerebral tem cura

É possível falar em cura do aneurisma quando o paciente realizar um procedimento para impedir que o vaso afetado se rompa. No entanto, na maior parte das vezes, o paciente precisa realizar tratamento continuado com medicamentos e acompanhamento para analisar os riscos de formação de novos aneurismas. Já nos casos de rompimento de aneurismas, determinar uma cura é mais difícil, pois os riscos de sequelas e óbito são altos.

Foto: © Sebastian Kaulitzki - 123RF.com
Publicado por Natali_CCM. Última modificação: 26 de outubro de 2017 às 13:17 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Aneurisma: causas, sintomas e tratamento', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.