Desprendimento prematuro da placenta

Agosto 2017

A placenta é o órgão que garante alimento e oxigênio ao bebê durante a gravidez. Em condições normais, a placenta cresce na parte superior do útero e permanece ali até o momento do parto. No terceiro trimestre de gravidez, a placenta se separa do útero e as contrações ajudam a empurrá-la até a vagina. Porém, esse processo, chamado expulsão da placenta, pode se dar a partir da 20ª semana de gestação, de forma parcial ou completa. Desprendimentos leves da placenta não trazem problemas, mas caso ela se solte completamente de modo prematuro isso pode impedir a chegada de nutrientes e oxigênio ao bebê.


Causas do desprendimento prematuro da placenta

As causas do desprendimento prematuro da placenta são desconhecidas, mas a hipertensão arterial, diabetes, tabagismo, consumo de cocaína ou álcool e múltiplas gestações aumentam o risco do problema ocorrer. O desprendimento prematuro da placenta é a segunda causa de sangramento no terceiro trimestre de gestação.

A probabilidade de uma mulher sofrer deste problema varia de 0,4% a 3,5%. A forma grave do desprendimento ocorre em apenas um a cada 750 partos e provoca a morte do bebê. Quando o desprendimento da placenta é importante (total ou quase total), o bebê corre maior risco de problemas de crescimento. Ele também é causa de parto prematuro e nascimentos sem vida.

Causas da morte fetal

A maioria das mortes fetais ocorrem no terceiro trimestre de gravidez. Denomina-se morte fetal quando o feto com mais de 500 gramas ou após 20 semanas de gestação morre dentro do útero. Algumas possíveis causas de morte fetal são doenças congênitas como hipoplasia pulmonar, distúrbios cromossômicos, restrições do crescimento intrauterino, colestase, diabetes, pré-eclâmpsia ou uso de psicotrópicos (álcool, nicotina, cocaína) pela mulher.

Sintomas do desprendimento prematuro da placenta

Ainda que os sintomas sejam proporcionais ao grau de desprendimento da placenta, as manifestações mais frequentes do problema são sangramento vaginal, contrações muito dolorosas, dores abdominais, hipertonia uterina, rigidez ou distensão abdominal.

Desprendimento prematuro da placenta sem sangramento

O sintoma principal do desprendimento prematuro da placenta é o sangramento vaginal. No entanto, às vezes não há sangramento pois o sangue fica preso na parte posterior da placenta.

Diagnóstico do desprendimento prematuro da placenta

Nos casos de desprendimento da placenta, costuma-se observar a perda de variabilidade e desacelerações tardias em exames de monitoramento fetal. Uma ecografia também é capaz de identificar o desprendimento. O diagnóstico diferencial do desprendimento prematuro da placenta consiste em descartar a possibilidade de um caso de placenta prévia, ruptura uterina ou apendicite aguda.

Tratamento do desprendimento prematuro da placenta

O tratamento vai depender da gravidade do desprendimento prematuro da placenta. A partir daí, o tratamento pode variar do repouso a uma cesariana de urgência.

Foto: © ginasanders - 123RF.com

Veja também

Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 21 de junho de 2017 às 09:25 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Desprendimento prematuro da placenta', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.