Síndrome do pânico: causas, sintomas e tratamento

Fevereiro 2018

A síndrome do pânico é considerada um transtorno psicológico grave e muitas vezes incapacitante. Ela afeta pessoas de diferentes idades, mas costuma ser mais comum em jovens e adultos sofrendo de ansiedade e quadros de depressão. A síndrome do pânico é marcada tanto por períodos de crise - os chamados ataques de pânico - quanto fases de extrema preocupação com a possiblidade de um novo ataque e outros temores relacionados às causas da síndrome.


Causas da síndrome do pânico

Em geral, estudiosos da síndrome do pânico atuam com três linhas de pesquisa para determinar as causas do problema, até hoje relativamente desconhecidas. As três vias são neuroanatômica, comportamental e psicanalítica. A primeira enxerga a causa da síndrome em perturbações sobre o sistema fisiológico do paciente.


As outras duas abordagens são psicológicas. A comportamental crê que uma série de comportamentos combinados conduzem às crises de pânico. Já a versão psicanalítica entende as crises como resultado de processos mentais de ansiedade anteriormente reprimidos.

Sintomas da síndrome do pânico

Diversos sintomas marcam um ataque de pânico. Em geral, o paciente em pânico acredita que corre o risco de morrer, imagina estar sofrendo um infarto, acidente vascular cerebral ou outro problema grave. Há, portanto, sensação de medo generalizado, pensamentos negativos, dificuldade de se concentrar e tomar decisões.

Sintomas diários da síndrome do pânico

Já nos momentos fora das crises, o paciente sente preocupação extrema da reincidência e, por isso, evita diversas situações - o que rotineiramente afeta sua vida pessoal e profissional, pouco sai de casa, mostra-se bastante inquieto e tem dificuldades para dormir de maneira reparadora.

Medo de morrer na síndrome do pânico

O medo de morrer proveniente da confusão dos sintomas com a ocorrência de um infarto ou acidente vascular cerebral (AVC) é o principal causador do isolamento e reclusão crescente de portadores da síndrome do pânico.

Sintomas físicos da síndrome do pânico

Os principais sintomas físicos de um ataque de pânico são palpitações, falta de ar, dores no peito, sudorese excessiva, tontura, enjoos, tremores, embaçamento da visão e tensão muscular.

Tratamento da síndrome do pânico

Os medicamentos mais utilizados para o tratamento da síndrome do pânico são antidepressivos e inibidores da receptação de serotonina. Estes ou quaisquer outros remédios para o controle da condição só podem ser usados sob prescrição e acompanhamento médico psiquiátrico. Também é fundamental combinar o uso dos medicamentos com auxílio psicológico profissional.

Síndrome do pânico pode matar

A síndrome do pânico não pode matar. Apesar da angústia que o paciente sofre com a expectativa de um novo ataque e os sintomas físicos importantes que pode desencadear, um ataque de pânico não é capaz de provocar a morte de uma pessoa. Apesar disso, é importante que um paciente em crise de pânico seja levado a um hospital, pois isso o ajuda a se acalmar.

Síndrome do pânico tem cura

A síndrome do pânico tem cura. Ela é obtida por meio da combinação entre medicamentos, acompanhamento psicológico e redução das tensões e situações que provocam estresse e ansiedade. O tempo necessário para alcançar a cura da síndrome do pânico é variável por conta de sua intensidade e condições únicas de cada paciente.

Foto: © Ioannis Pantzi - Shutterstock.com
Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 4 de janeiro de 2018 às 08:51 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Síndrome do pânico: causas, sintomas e tratamento', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Remédio para vermes
Remédio para terçol