Erisipela: contágio, sintomas e tratamento

Dezembro 2017

A erisipela é uma inflamação aguda da pele causada por uma doença infecciosa derivada de uma bactéria (estreptococo e, às vezes, estafilococo dourado) e geralmente atinge as pernas.


O que é erisipela

A erisipela é uma doença dolorosa, que necessita de tratamento urgente para evitar que essa infecção afete todo o organismo. Geralmente, a erisipela se dá em adultos com idade superior a 40 anos e é rara nas crianças. Alguns fatores favorecem o surgimento desse mal no organismo, tais como feridas ou úlceras cutâneas no local, baixa imunidade, insuficiência da circulação venosa nas pernas ou diabetes.

Contágio da erisipela

A erisipela, por ser uma condição provocada por bactéria, é contagiosa e pode ser transmitida de pessoa para pessoa pelo ar, pelo contato ou pelo compartilhamento de objetos como talheres e toalhas. Esse contágio se torna mais frequente caso o paciente apresente feridas abertas e não estiver realizando tratamento. Em muitas situações, o médico recomenda que a família do paciente também realize exames para constatar se houve transmissão.

Sintomas da erisipela

A erisipela se manifesta com dores aguda e edemas no local, que fica vermelho e quente. A forma mais comum de erisipela atinge apenas uma perna e gera febre, com temperatura entre 39 e 40° C. Na zona atingida a pele fica avermelhada, com uma inflamação nas glândulas linfáticas situadas nas proximidades do local.

Como se diagnostica a erisipela

Os sintomas e manifestações físicas da erisipela facilitam o diagnóstico. Entretanto, deve-se comprovar o diagnóstico com uma análise da zona infectada, já que pode se tratar de um caso de baixa imunidade ou diabetes. Nos exames, geralmente é constatado um aumento dos glóbulos brancos (leucócitos) e da PCR, proteína específica dessa inflamação. Em alguns casos, diante de uma sorologia pode-se notar a presença de um streptococco.

Tratamento para erisipela

O tratamento deve ser urgente, a base de analgésicos e antibióticos que combatam os estreptococos. O paciente deve permanecer em casa e em repouso até o desaparecimento da inflamação. Em alguns casos, a hospitalização é necessária se não houver melhora após 72 horas de tratamento.

Como prevenir a erisipela

A prevenção desse mal pode ser feita com drenagem linfática com o objetivo de reduzir os problemas circulatórios, bem como utilizando calças e meias para varizes e higienizando áreas com feridas e úlceras, que podem favorecer o aparecimento desse mal.

Foto: © Kruglov_Orda - Shutterstock.com
Artigo original publicado por Jeff. Tradução feita por Natali_CCM. Última modificação: 4 de outubro de 2017 às 11:29 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Erisipela: contágio, sintomas e tratamento', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Lombriga: contaminação e tratamento
Secreção nasal: tipos e colorações