Melatonina: benefícios e efeitos colaterais

Outubro 2017

A melatonina é um hormônio produzido a partir do triptofano, aminoácido secretado na glândula pineal, na retina e em outros tecidos do organismo. A melatonina se encarrega de ajustar o relógio biológico do indivíduo e os ciclos de sono e vigília. A produção deste hormônio depende principalmente da luz. Quanto menos luz houver no ambiente, maior a produção de melatonina. Por isso, ela está intimamente relacionado ao ritmo circadiano e funções do corpo durante o dia e a noite.


Para que serve a melatonina

A melatonina ajuda o corpo a manter seu ritmo natural. Por esse motivo, é indicada para aliviar problemas de adaptação ao fuso horário em uma viagem e facilitar o sono de pacientes com insônia ou que sofram mudanças bruscas de horário de trabalho. O uso de medicamentos que contêm melatonina ajuda a recuperar com maior rapidez o ritmo sono-vigília. Porém, é sempre melhor tentar solucionar qualquer desajuste desta natureza de maneira natural, sem remédios.

Como produzir melatonina naturalmente

O avanço da idade reduz a síntese de melatonina. Além do envelhecimento, estresse, alimentação ruim, sedentarismo e exposição exagerada a luzes artificiais também diminuem a produção deste hormônio. Para garantir que seu corpo secrete maiores quantidades de melatonina deve-se praticar exercícios físicos regularmente e, principalmente, promover alterações no regime alimentar. Alguns produtos que elevam a síntese de melatonina são as carnes magras, leite e derivados, banana, maçã, milho, aveia e tomate.

Suplemento de melatonina

Além da manutenção do ritmo circadiano, a melatonina apresenta benefícios para a saúde de pacientes que fazem uso de suplementos do hormônio. Estudo da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, comprovou que mulheres com baixo nível de melatonina estão em maior risco de ter câncer de mama, assim como pacientes com a doença que usam melatonina têm resposta mais eficaz ao tratamento. O hormônio também possui ação antioxidante e estimula as ações do sistema imunológico.

Efeitos colaterais da melatonina

Os efeitos colaterais mais frequentes em pacientes que fazem uso de suplementação de melatonina são sonolência durante o dia (normalmente por conta de dosagens inadequadas), enjoos, hipotermia, dores de cabeça, diarreias, sintomas de depressão e maior irritabilidade.

Posologia da melatonina

Recomenda-se que um paciente não ultrapasse o uso de 800 miligramas de melatonina por dia. Em geral, doses mais baixas já são suficientes. A decisão sobre dosagem e momento de uso da melatonina é exclusiva do médico, que deve acompanhar a evolução do paciente.

Contraindicações da melatonina

Bebês e crianças pequenas não devem fazer uso de melatonina, pois sua suplementação podem afetar outros hormônios e o desenvolvimento da criança. Alguns especialistas também defendem a contraindicação do hormônio para adolescentes. Mulheres que pretendem engravidar, pacientes hipertensos e com depressão também devem evitar a melatonina. Grávidas ou lactantes devem avaliar o uso de melatonina com o ginecologista.

Foto: © Paul Cotney - Shutterstock.com
Artigo original publicado por DRA. MARNET. Tradução feita por Pedro.CCM. Última modificação: 23 de agosto de 2017 às 11:39 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Melatonina: benefícios e efeitos colaterais', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.