Pesquisa: superbactérias ameaçam mais os rins

Natali.Saude - 5 de outubro de 2016 - 08:34

Pesquisa: superbactérias ameaçam mais os rins

Em 10 anos, número de pacientes com infecção renal provocada por micro-organismos resistentes aumentou 50%

(CCM SAÚDE) — A pielonefrite, infecção comum principalmente em mulheres, provém de uma infecção bacteriana no trato urinário, que, na maioria dos casos, leva a internação e tratamento com antibióticos, que estão cada vez menos eficientes, segundo pesquisadores da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), nos Estados Unidos.

No estudo, David Talan, principal autor do estudo e professor no Departamento de Medicina de Emergência na UCLA, e equipe, analisaram 453 pessoas diagnosticadas com infecção bacteriana nos rins, entre julho de 2013 e dezembro de 2014. Doze por cento dos participantes foram acometidos por uma pielonefrite que não respondia ao antibiótico da classe padrão, a fluoroquinolona. O aumento de pacientes com esse perfil foi de 50%, se comparado com os resultados de um estudo semelhante feito uma década antes.

"Esse é um verdadeiro exemplo da ameaça representada pelo surgimento de novas estirpes de bactérias resistentes aos antibióticos, o que complica muito o tratamento de infecção", disse Talan, em comunicado à imprensa.

Em 90% dos casos, a pielonefrite é causada pela bactéria Escherichia coli, encontrada normalmente no intestino grosso. Segundo os autores, a resistência ao medicamento estaria ligada à infecção por uma estirpe da Escherichia coli produtora de ESBL, uma enzima que enfraquece a ação dos antibióticos.

Talan e a equipe defendem o desenvolvimento de novos medicamentos e de novas práticas para o tratamento de pacientes com pielonefrite — entre os participantes do estudo contaminados pela E. coli produtora de ESBL, 75% haviam recebido inicialmente substâncias ineficazes contra esse tipo de bactéria, o que os deixou ainda mais vulneráveis ao micro-organismo.

Foto: © Kzenon - Shutterstock.com

Siga o CCM Saúde no Twitter