40% das crianças sem desenvolvimento integral

Pedro.Saude - 5 de outubro de 2016 - 10:36

40% das crianças sem desenvolvimento integral

Ao todo, 249 milhões estão com saúde e crescimento ameaçados em países de baixa e média renda

(CCM SAÚDE) — Estudo internacional publicado na revista científica 'The Lancet' apontou que 43% das crianças com menos de cinco anos de países de baixa e média renda - ou 249 milhões, no total - estão com o desenvolvimento físico e cognitivo ameaçados por conta das condições de extrema pobreza em que vivem. Os dados foram divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quarta-feira (5).



De acordo com a agência internacional, o levantamento reforça a necessidade de atenção redobrada das autoridades nos primeiros 1.000 dias de vida das crianças. Esta período é quando o cérebro se desenvolve mais rapidamente, tornando-a crucial para toda a sequência da vida. Além disso, a pesquisa mostrou que intervenções para o cuidado deste grupo, tais como saúde, nutrição e educação, custariam apenas 50 centavos de dólar (R$ 1,61) por criança por ano.

Sem este amparo, estas crianças, quando chegarem à vida adulta, terão rendas 25% inferiores à média de seus países, estima a pesquisa, que contou com a participação da OMS, do Banco Mundial e da Unesco. "Esperamos que esses resultados façam os países buscarem grávidas e crianças pequenas para prover serviços de prevenção e cuidado para melhorar este prognóstico", afirma Linda Richter, uma das autoras do levantamento.

A diretora-geral da OMS, Margaret Chan, também defendeu a expansão dos investimentos na atenção às crianças e suas famílias. Ela citou inclusive que tais ações refletem no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estipulados pelas Nações Unidas para 2030. "Investir nas crianças é uma obrigação moral, econômica e social dos países", apontou Chan.

Foto: © Pixabay.
Siga o CCM Saúde no Twitter