Pais ausentes elevam risco de filho fumar e beber

Pedro.Saude - 11 de outubro de 2016 - 11:38

Pais ausentes elevam risco de filho fumar e beber

Perda do pai ou da mãe dobra a probabilidade da criança começar a fumar antes dos 11 anos

(CCM SAÚDE) — Crianças que não convivem com um dos pais por morte, separação, abandono ou qualquer outro motivo apresentam risco elevado de começar a fumar e beber ainda na infância, revela pesquisa da University College London, do Reino Unido. A iniciação no consumo de bebidas alcoólicas aos 11 anos é 50% maior e chega a 100% em relação ao tabagismo.

Para Rebecca Lacey, uma das autoras do estudo, o cigarro e o álcool são válvulas de escape encontradas por essas crianças. "Algumas delas parecem buscar na bebidas e no cigarro formas de lidar com eventos estressantes nos primeiros anos de vida", afirma a pesquisadora.

O levantamento faz parte de um grande estudo envolvendo diversas instituições de pesquisa do Reino Unido que acompanha desde o nascimento 10.940 jovens nascidos entre 2000 e 2002. Ao todo, 4% dos garotos e 2% das meninas já haviam fumado aos 11 anos. Já bebidas alcoólicas haviam sido experimentadas por 15% deles e 10% delas.

Foto: © lassedesignen - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter