Horário de verão: 14 dias para se adaptar

Natali.Saude - 17 de outubro de 2016 - 09:52

Horário de verão: 14 dias para se adaptar

Pesquisa mostra que corpo sofre com problemas como falta de atenção, de memória e sono fragmentado

(CCM SAÚDE) — Um estudo conduzido no Brasil concluiu que o corpo humano necessita de pelo menos 14 dias para se adaptar totalmente ao horário de verão. Antes de isso acontecer, são comuns problemas como falta de atenção, sono fragmentado e problemas de memória.

O horário de verão, que começou no Brasil em16 outubro, vai até o dia 19 de fevereiro de 2017. Locais como Distrito Federal e os Estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo adiantam seus relógios em uma hora.

O estudo desenvolvido pelo Grupo Multidisciplinar de Desenvolvimento e Ritos Biológicos, vinculado ao Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, se concentrou em como a mudança no relógio influi na temperatura do corpo humano. Segundo os pesquisadores, a temperatura do corpo começa a subir mais cedo do que antes do horário de verão. Isso aponta para uma desestabilização entre os ritmos da temperatura corporal e da atividade de repouso.

No começo do horário de verão, a maior incidência do sol em horários considerados noturnos faz o organismo atrasar seu ritmo. Isso faz com que a pessoa fique mais tempo acordada por sentir sono mais tarde - o que afetaria negativamente o sono noturno. Os grupos mais afetados são os adolescentes e os jovens adultos.

A mudança de horário afeta mais quem tem rotinas mais rígidas de trabalho. Mas, para quem tem maior flexibilidade de tempo, o recomendado é tentar minimizar os efeitos da mudança. Uma dica é ir acordando 15 minutos mais cedo diariamente, para que a transição ocorra aos poucos.

Foto: © nenetus - Shutterstock.com

Siga o CCM Saúde no Twitter