Fadiga e queda de cabelo: sinais de falta de proteína

Natali.Saude - 18 de outubro de 2016 - 11:39

Fadiga e queda de cabelo: sinais de falta de proteína

Alguns sinais físicos alertam o paciente para a carência de proteínas em sua alimentação

(CCM SAÚDE) — A falta de proteínas no corpo gera diversos sintomas, que podem ser facilmente identificados e combatidos. Se você, por exemplo, chega quase se arrastando do trabalho e não tem energia para mais nada, tem dor constante nos músculos, perde cabelo em excesso e ganha rugas, talvez sua dieta esteja pobre em proteínas.

"O mais comum é que as pessoas consumam proteínas em excesso", diz Aisling Pigott, porta-voz da Associação de Nutricionistas do Reino Unido, à ‘BBC Mundo’. "Mas as dietas muito baixas em calorias ou mal equilibradas podem levar a um déficit proteico", acrescenta Pigott.

Nossos músculos, cartilagens, ligamentos, pele, cabelo e unhas são compostos basicamente de proteína. Entre as proteínas mais famosas, por exemplo, estão hemoglobina, anticorpos, certos hormônios (como a insulina) e enzimas. Elas são vitais para o aporte de energia, para a reparação de tecidos, a oxigenação do corpo e o sistema imunológico.

A fadiga é um dos principais sinais de ausência de proteína. Dado que a deficiência desse composto é derivada diretamente de uma dieta pobre em calorias, o organismo não conta com energia suficiente para cumprir tarefas rotineiras. Recomenda-se comer entre 0,7 e 0,8 gramas de proteína por quilo de peso. Por isso, um homem de 80 quilos deveria consumir 64 gramas de proteína por dia.

Outro sinal é a queda de cabelo, já que ele e os folículos que os sustentam são feitos de proteína e a falta dessas moléculas os enfraquece. Unhas fracas e pele sem viço também podem indicar ausência desse aminoácido. Perda de massa muscular e impossibilidade de realizar atividades físicas devido a câimbras é outro sinal e muito comum em pessoas idosas.

As proteínas são encontradas em alimentos de origem animal, como carne bovina, cordeiro, carne de porco, frango, peixe, ovos ou laticíneos. Também é encontrada na soja e, em menor grau, em outros grãos, nozes e sementes.

Foto: © Adam Gregor - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter