Doenças mentais são relacionadas à infância

Natali.Saude - 21 de outubro de 2016 - 10:36

Doenças mentais são relacionadas à infância

Estudos dinamarqueses apontam que doenças mentais são desencadeadas pelo ambiente em que a pessoa vive

(CCM SAÚDE) — Dois estudos dinamarqueses apresentados no encontro da Associação Internacional de Psicose Precoce (Iepa, na sigla em inglês) indicam que as doenças mentais têm relação com o ambiente em que a pessoa vive e eventos que ocorrem antes de o problema se manifestar.



Na primeira das pesquisas, os especialistas da Faculdade de Saúde e Ciências Médicas da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, confirmaram que crianças cujo um dos pais é diagnosticado com esquizofrenia ou transtorno bipolar são mais suscetíveis a sofrer com problemas mentais por volta dos 7 anos.

Liderado por Anne Thorup e Merete Nordentoft, esse estudo coletou dados de 522 crianças que tinham essa idade no início da análise. Desse grupo, 202 tinham um dos pais com esquizofrenia, e 120, um dos genitores com bipolaridade. As 200 restantes nasceram de pai e mãe considerados saudáveis.

Na avaliação foi utilizada uma ferramenta chamada Child Behaviour Checklist (Inventário de Comportamento Infantil, em tradução livre), composta por mais de 100 perguntas que são respondidas pelos pais e professores deles. Quanto maior o resultado do teste, mais desses problemas são observados. O escore médio das crianças avaliadas no estudo foi de 27,2 no primeiro grupo (um dos pais esquizofrênico), 23,5 no segundo (um dos pais bipolar) e, por fim, 17,1 no terceiro (pai e mãe sem esses diagnósticos).

Os meninos e meninas dos dois primeiros grupos se mostraram mais suscetíveis a problemas como ansiedade, transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) e estresse. Eles também se mostraram mais sujeitos a apresentar problemas ou atrasos neurocognitivos.

"Nós planejamos acompanhar as crianças até os 11 anos para conduzir uma nova avaliação antes da puberdade", informam as pesquisadoras. "Nós não sabemos se as crianças que apresentam problemas vão melhorar no aspecto neurocognitivo ou se seus transtornos mentais vão ter remissão. Elas já foram muito marcadas até os 7 anos — esperamos resultados semelhantes ou até mesmo piores aos 11 anos", completam.

Os dados também apontam um risco aumentado de uma criança desenvolver esquizofrenia quando o pai ou a mãe abusam do consumo de maconha e álcool. A probabilidade cresce 6 vezes quando a mãe usa maconha de maneira excessiva e 5,5 quando o uso é paterno. Quanto ao álcool, esses números foram de 5,6 se a mãe abusa da substância antes do nascimento e 4,4 se o consumo exagerado é do pai.

Foto: © anekoho - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter