Zika vírus prejudica o esperma, diz estudo

Natali.Saude - 7 de novembro de 2016 - 10:00

Zika vírus prejudica o esperma, diz estudo

Conclusão foi obtida após uma pesquisa com ratos; em humanos, pode gerar infertilidade

(CCM SAÚDE) — Até o momento, muito tem se falado a respeito das consequências do zika vírus para a saúde de mulheres e fetos. Entretanto, esse problema também afeta seriamente os homens, segundo um estudo conduzido pela Universidade de Washington, nos Estados Unidos, que aponta que esse micro-organismo tem sérios efeitos sobre a qualidade do esperma.



"Nós já sabíamos que o zika é transmitido sexualmente, sendo que, na maior parte das transmissões sexuais, é o homem que infecta a mulher. Também há transmissão entre homens. O que não sabíamos era a consequência disso", explica Michael Diamond, um dos autores do estudo, publicado na revista 'Nature'. No experimento, ratos contaminados se tornaram menos férteis e exibiram níveis mais baixos de testosterona, sofrendo também redução significativa dos testículos.

Em alguns casos de infecção por zika vírus em homens, há relatos de dor na área do testículo e sangramento no líquido seminal, o que se explica pelo fato de o vírus se alojar no sêmen. Já se sabe há algum tempo que o vírus persiste durante meses, razão pela qual o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos recomenda às pessoas que viajam a regiões endêmicas usar camisinha por até seis meses, ainda que não exibam sintomas da doença.

Em outro estudo que inoculou cepas africana e asiática do zika em ratos e acompanhou a evolução da infecção, os pesquisadores constataram que progressivamente houve a destruição dos testículos e das células germinativas, havendo ainda uma produção grande de leucócitos, um sinal de infiltração inflamatória.

"Não sabemos ao certo se o dano é irreversível, mas acreditamos que sim, pois as células que garantem o funcionamento da estrutura interna dos testículos foram infectadas e destruídas", diz Michael Diamond. Os testes reforçaram que dificilmente os danos provocados pelo vírus possam ser revertidos: passado um mês e meio, as contagens de esperma e de testosterona se mantiveram muito baixas.

Foto: © bogdanhoda - Shutterstock.com

Siga o CCM Saúde no Twitter