Em um ano, vírus zika chegou a 73 países

Pedro.Saude - 8 de novembro de 2016 - 08:44

Em um ano, vírus zika chegou a 73 países

Casos de microcefalia aumentaram em 26 nações desde o ano passado; 90% dos casos estão no Brasil

(CCM SAÚDE) — O vírus zika chegou para ficar. Essa é a conclusão da Organização Mundial da Saúde (OMS) um ano após a explosão dos casos da doença no Brasil e no resto do mundo. Atualmente, 73 países sofrem com a circulação do vírus, sendo que 26 deles também apresentaram aumento das ocorrências de microcefalia .

De acordo com o braço de saúde das Nações Unidas, 67 nações, incluindo o Brasil, tiveram surtos de zika desde o ano passado. Dos 26 afetados pela microcefalia e "outras malformações potencialmente associadas ao vírus", Bolívia, Trinidad e Tobago e Vietnã registraram seus primeiros casos na semana passada. Além disso, 12 países tiveram crescimento expressivo nos números da síndrome Guillain-Barré, que afeta adultos e provoca paralisia muscular.

Ao todo, 2.257 bebês nasceram com o crânio menor que o normal, diz a OMS. Destes, 2.079, mais de 90% do total, são brasileiros. A razão para o país ter registrado taxa muito mais elevada da malformação que, por exemplo, a Colômbia, onde o zika também se espalhou, é uma das incógnitas da doença que ainda precisa ser melhor investigada.

Em um cenário de incertezas, ao menos uma boa notícia parece estar no horizonte. Em entrevista coletiva, a porta-voz da organização, Monika Gehner, afirmou que uma vacina contra o vírus zika deve chegar ao mercado "em dois ou três anos". Em maio, Gehner havia previsto a liberação do imunizante somente para 2021. Em testes recentes, uma das vacinas que vêm sendo desenvolvidas apresentou "eficácia total" em primatas.

Foto: © designer491 - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter