Edição genética faz ratos voltarem a enxergar

Pedro.Saude - 17 de novembro de 2016 - 10:01

Edição genética faz ratos voltarem a enxergar

Avanço abre espaço para reversão de doenças como fibrose cística e distrofia muscular em humanos

(CCM SAÚDE) — Cientistas do Instituto Salk, nos Estados Unidos, se tornaram os primeiros a conseguirem desenvolver uma técnica de edição genética em células animais adultas. A equipe liderada pelo professor Juan Carlos Izpisua recuperou parcialmente a visão de ratos afetados por retinite pigmentosa, condição presente em um em cada 4 mil humanos.



Antes desta pesquisa, que teve seus resultados publicados na revista científica 'Nature', edições genéticas só haviam sido feitas com sucesso em embriões, que passam por processos de divisão em seu desenvolvimento. A técnica utilizada é a ferramenta chamada de Crispr, conhecida como uma tesoura molecular. Ela é capaz de cortar partes de DNA e trocá-las por fragmentos saudáveis.

A novidade pode ser um passo importante para a formulação de terapias que possam curar pacientes com doenças genéticas graves e hoje consideradas irreversíveis, como distrofia muscular, fibrose cística e hemofilia. De acordo com os responsáveis pelo estudo, testes com seres humanos podem ocorrem dentro de um ou dois anos.

Apesar da novidade, muitos avanços ainda precisam ocorrer. O experimento com ratos demonstrou que apenas 5% das células da retina dos camundongos foi alterada durante o tratamento. Com isso, os animais passaram apenas a reagir à luz, sem obter melhora completa da visão.

Foto: © Sergey Nivens - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter