Melatonina pode elevar desempenho esportivo

Natali.Saude - 12 de dezembro de 2016 - 09:33

Melatonina pode elevar desempenho esportivo

Hormônio do sono aumenta em até 150% o tempo de execução da atividade física, diz pesquisa

(CCM SAÚDE) — A melatonina, conhecida como hormônio do sono, agrega mais uma potencialidade em sua lista de benefícios, que vão de auxiliar no emagrecimento até tratar o mal de Parkinson, prevenir e combater o câncer. Agora, foi comprovado que ela também melhora a prática esportiva.

Um estudo conduzido pelo professor Wladimir Rafael Beck, da Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), realizou experimentos que comprovam um aumento de até 150% no tempo de duração dos exercícios feitos por ratos que receberam doses de melatonina.

Antes de dar início à pesquisa, ele tinha como hipótese que a propriedade anti-inflamatória da substância poderia causar a ergogenia. "A surpresa veio com o fato de que, mesmo com mais inflamação, mais danos ao tecido e mais estresse oxidativo, o animal continuou fazendo o exercício", destaca o pesquisador, em comunicado. Pelo tema inédito e pelos resultados alcançados, a tese está entre as premiadas deste ano pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

"Agora, quero estudar por que acontece o benefício ergogênico em exercícios de longa duração, como a natação. Quero fazer experimentos com outros tipos de atividades físicas, com outras intensidades de esforço e também aplicar os testes em pessoas", informa Beck, que fez os experimentos com ratos, observados enquanto nadavam e após receber doses do hormônio em períodos diferentes do dia.

O pesquisador lembra que esses roedores são animais de hábitos noturnos. Diferentemente do homem, o período de vigília do rato é à noite, quando foram obtidos os melhores resultados da pesquisa. Assim, Beck pondera que o efeito das doses de melatonina aplicadas nas cobaias pode ter potencializado a atividade física devido à forma como vivem esses animais.

Foto: © wavebreakmedia - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter