Isolados anticorpos que combatem vírus da zika

Natali.Saude - 19 de dezembro de 2016 - 10:45

Isolados anticorpos que combatem vírus da zika

Pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências descobriram anticorpo que neutraliza o vírus zika

(CCM SAÚDE) — Uma descoberta pode ajudar a combater o vírus zika com o desenvolvimento de vacinas e tratamentos. Recentemente, cientistas da Academia Chinesa de Ciências descobriram um anticorpo que neutraliza o vírus zika isolando-o no organismo de um paciente chinês que voltou infectado da Venezuela.

No laboratório de imunologia do Hospital de Shenzen, onde o estudo foi conduzido, a equipe de Qihui Wang isolou 13 anticorpos monoclonais do sangue do paciente infectado. Dois deles — Z23 e Z3L1 — mostraram-se promissores.

"Somos o primeiro grupo a identificar anticorpos específicos do zika. Esses anticorpos são muito importantes para o desenvolvimento de tratamentos futuros e esperamos fazer a primeira vacina para prevenir e controlar a doença", diz, em comunicado, Wang.

Segundo ele, os outros anticorpos que vêm sendo investigados atualmente reconhecem tanto a dengue quanto o zika, ambos os vírus transmitidos pelo mosquido Aedes aegypti. Wang também investigou o mecanismo de ação dos anticorpos. O médico diz que eles atuam bloqueando regiões do envelope viral, a camada de proteínas que protege o núcleo do vírus.

Problema de ordem mundial, o zika teve surto que infectou 80 mil pessoas de 69 países em 2015. Embora a Organização Mundial de Saúde (OMS) tenha excluído, no mês passado, a doença da lista das emergências de saúde pública internacionais, ela ainda é uma preocupação, pois não existem vacinas nem tratamentos apropriados.

Agora, a equipe espera, em breve, começar os testes clínicos com pacientes humanos. "Esses anticorpos podem ser úteis tanto para estimular a resposta imunológica do hospedeiro contra o vírus, com uso para produção de vacinas, quanto para neutralizar o efeito do vírus, com o potencial de criarmos um medicamento antiviral para pacientes já infectados", explica.

Foto: © Jarun Ontakrai - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter