Bactérias resistentes desativam antibiótico

Pedro.Saude - 30 de dezembro de 2016 - 08:03

Bactérias resistentes desativam antibiótico

Descoberta pode tornar resistência bacteriana ainda mais preocupante para os próximos anos

(CCM SAÚDE) — A resistência de bactérias a antibióticos tem sido um dos temas de maior preocupação e estudo por cientistas de todo o mundo. E as novidades não são positivas, de acordo com pesquisa feita na Universidade de Groningen, na Holanda.



O trabalho mostrou que bactérias não resistentes podem sobreviver aos medicamentos caso estejam acompanhadas de outras que contenham genes resistentes. Estas seriam responsáveis por desativar a ação do remédio e permitir tanto o seu próprio crescimento quanto a reprodução dos agentes suscetíveis ao tratamento.

O experimento foi feito da seguinte maneira: foi induzida uma coinfecção da bactéria estafilococos (resistente) e Streptococcus pneumoniae (vulnerável). Os patógenos foram combatidos com o antibiótico cloranfenicol. A análise microscópica mostrou que as células resistentes protegeram as vulneráveis, garantindo que elas não morressem sob a ação do medicamento. Aos poucos, o antibiótico foi sendo desativado, o que permitiu o desenvolvimento das bactérias suscetíveis, inclusive em taxa maior que as resistentes.

Segundo o microbiologista Robin Sorg, autor do estudo, a descoberta torna ainda mais necessário o cuidado com o uso de antibióticos, que deve ser feito apenas em casos extremos. Além disso, ele aponta para a importância de se completar os tratamentos antibióticos iniciados já que a permanência de bactérias no organismo estimula sua resistência futura.

Foto: © RomanenkoAlexey - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter