Intolerância ao glúten atinge 19% das crianças

Natali.Saude - 2 de janeiro de 2017 - 11:33

Intolerância ao glúten atinge 19% das crianças

Estudo indica que crianças sofrem as consequências de danos intestinais mesmo seguindo uma dieta restritiva

(CCM SAÚDE) — O glúten se transformou, nos últimos anos, no vilão de grande parte das refeições, já que essa proteína encontrada em cereais afeta pessoas com doença celíaca, uma intolerância grave a essa substância.



Entretanto, uma pesquisa feita pelo Hospital Pediátrico Geral de Boston, nos Estados Unidos, constatou que quase uma em cada cinco crianças com essa condição continua com problemas intestinais ainda que tenha uma alimentação completamente livre de glúten.

Essa descoberta corrobora a conclusão obtida em pesquisas feitas com adultos, que apontou que mais de 33% dos pacientes que aderiram a uma dieta sem a proteína persistiram com os danos no intestino, apesar da redução dos sintomas ou dos resultados de exames de sangue.

"Isso confirma que precisamos nos concentrar mais agressivamente na cura desses pacientes", diz Maureen Leonard, diretora clínica do Centro de Pesquisa e Tratamento Celíaco da instituição e coautora do estudo, publicado na revista Journal of Pediatric Gastroenterology and Nutrition.

De acordo com ela, os resultados já estão ajudando a revisar práticas médicas no hospital em que trabalha, onde a maior parte dos pacientes com mais de 10 anos passa por endoscopias um ano após o tratamento com dieta livre de glúten para avaliar se a mucosa intestinal está, de fato, recomposta.

Embora não se conheçam os riscos associados aos danos à mucosa intestinal permanentes em crianças, as alterações em adultos aumentam o risco de linfoma (um tipo de câncer), baixa densidade óssea e fratura. Os autores do estudo também observaram que "a má absorção e a inflamação em crianças pode ter repercussões negativas no desenvolvimento físico e cognitivo".

Foto: © MonkeyBusinessImages - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter