Tráfego intenso aumenta risco de demência

Pedro.Saude - 6 de janeiro de 2017 - 08:34

Tráfego intenso aumenta risco de demência

Morar perto de ruas movimentadas eleva em 7% possibilidade de desenvolver problema

(CCM SAÚDE) — Morar próximo de ruas de tráfego intenso não apenas pode fazer mal para a saúde respiratória e cardiovascular, mas afetar também a condição mental dos habitantes de uma cidade, aponta levantamento canadense.



Um estudo realizado por pesquisadores de duas organizações de saúde pública de Ontário, no Canadá, demonstrou que viver distante até 50 metros - aproximadamente meio quarteirão - de regiões de alto movimento de carros eleva em 7% o risco de uma pessoa desenvolver quadros de demência em comparação com aquelas que moram a mais de 300 metros dos engarrafamentos.

Ao analisar 6,5 milhões de moradores de Ontário e cruzar os dados de três doenças mentais - demência, mal de Parkinson e esclerose múltipla - com seus endereços residenciais, a equipe canadense determinou que a relação com a exposição aos poluentes só se dá com a demência, não afetando a incidência dos outros transtornos.

"Esse é o primeiro estudo a apontar este efeito do tráfego intenso e diário. Ele sugere que os poluentes invadem a corrente sanguínea e alcancem o cérebro, causando estes problemas neurológicos", afirma Raymond Copes, um dos autores da pesquisa.

Foto: © elwynn - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter