Soneca no expediente gera mais produtividade

Natali.Saude - 23 de janeiro de 2017 - 10:35

Soneca no expediente gera mais produtividade

Especialistas dizem que sono funciona como uma limpeza no cérebro, ajudando a eliminar lixo metabólico

(CCM SAÚDE) — Um cochilo durante o expediente pode ser interpretado, na maioria dos lugares, como sinal de preguiça, porém alguns estudos sugerem que ele tem exatamente o efeito contrário, pois ajuda a aumentar o nível de atenção e eficiência.



Segundo os pesquisadores, o corpo humano opera de acordo com os ritmos circadianos, o ciclo diário de hormônios que governam o relógio biológico. A melatonina é a principal agente, o que significa que, quando os níveis dela estão altos, você dorme. Entretanto, quando você é exposto à luz do sol, os níveis de melatonina caem e você acorda.

"O sono funciona como uma limpeza no cérebro, ajuda a limpar o lixo metabólico e as toxinas do cérebro", explicou Natalie Dautovich, especialista da Fundação Nacional do Sono dos Estados Unidos, completando que todos devemos dormir de sete a nove horas por noite.

"Quanto menos dormimos, mais impreciso fica o nosso julgamento sobre o efeito da falta de sono em nosso desempenho", afirmou Dautovich. Isso significa que, quando você está muito cansado, todos no escritório percebem, você produz menos e seu dia não rende.

Para garantir sucesso nos cochilos no trabalho - para quem tem essa possibilidade - os cientistas desenvolveram algumas estratégias. A primeira é óbvia: certifique-se que você tem a permissão do chefe. Depois, pense em um horário. O cochilo pode ser depois do almoço, naquele momento em que a sonolência aumenta, entre 14h e 16h. Também é bom limitar sua soneca a 20 minutos para evitar sonolência e tenha um prazo de dez minutos para se recuperar do cochilo.

"Nós ainda estamos presos a esta noção de que o sono é um luxo em vez de vê-lo como um comportamento saudável e positivo com resultados benéficos para a produtividade", explicou a especialista.

Foto: © baranq - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter