Caixas de fast food possuem químicos perigosos

Natali.Saude - 6 de fevereiro de 2017 - 09:55

Caixas de fast food possuem químicos perigosos

Exposição a essas substâncias está ligada a câncer, problemas da tireoide, imunossupressão e diminuição da fertilidade

(CCM SAÚDE) — O fast food, que possui milhões de adeptos em todo o mundo, vem embrulhado em papel à prova de gordura e caixas que, geralmente, contêm produtos químicos antiaderentes que podem se transferir para os alimentos. Isso é o que aponta um estudo que testou mais de 400 amostras de 27 redes dos Estados Unidos.



A conclusão foi que quase metade dos embrulhos de hambúrgueres, batatas fritas, tacos e doces e 20% das caixas de batata frita e pizza continham flúor, marcador para produtos químicos altamente fluorados usados em tapetes resistentes a manchas, utensílios de cozinha antiaderentes e roupas impermeáveis.

De acordo com os pesquisadores, a exposição às substâncias PFAS (perfluoroalquiladas e polifluoroalquiladas) está associada ao câncer, distúrbios da tireoide, redução do funcionamento do sistema imunológico, baixo peso ao nascer e diminuição da fertilidade.

"As crianças estão especialmente em risco de efeitos sobre a saúde, porque seus corpos em desenvolvimento são mais vulneráveis a produtos químicos tóxicos”, disse a autora principal do estudo, Laurel Schaider, química ambiental no Instituto Silent Spring, dos Estados Unidos, destacando que cerca de uma em cada três crianças estadunidenses comem fast food todos os dias.

Além do problema de as substâncias possivelmente migrarem para os alimentos, há ainda uma lenta decomposição dessas embalagens, que tendem a permanecer no meio ambiente por longos períodos depois de serem descartadas em aterros sanitários.

Foto: © Christian Draghici - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter