Terapia genética restaura audição em ratos

Pedro.Saude - 9 de fevereiro de 2017 - 08:54

Terapia genética restaura audição em ratos

Esperança é que procedimento possa ser adaptado para uso em seres humanos dentro de alguns anos

(CCM SAÚDE) — Um tratamento genético desenvolvido para recuperar a audição de ratos cria esperança da utilização desta técnica para reverter problemas semelhantes em seres humanos, afirma uma equipe de pesquisadores do Hospital Infantil de Boston, nos Estados Unidos, responsável pelo experimento nos animais.

Os ratos tratados sofriam da síndrome de Usher, uma falha genética que altera o formato dos pelos dos ouvidos dos animais, estrutura fundamental para a audição de camundongos. Na terapia, um vírus sintético 'infectava' os ratos e transmitir as informações corretas de formação dos pelos.

Após o tratamento, os animais antes surdos foram capazes de escutar sons de até 25 decibéis, equivalentes ao sussurro humano. "Isso é sem precedentes. Essa é a primeira vez que nós vimos esse nível de restauração da audição", afirma Jeffrey Holt, um dos cientistas ligados à pesquisa em entrevista à 'BBC Brasil'.

Apesar de vislumbrar a aplicação de técnicas semelhantes em seres humanos em um "futuro próximo", Holt e sua equipe ainda precisam resolver algumas questões antes de utilizar a terapia genética em humanos com problemas de audição. Entre elas estão a segurança do procedimento - que se vale de um vírus - e o tempo necessário para realizar a operação. Nos testes, apenas ratos tratados logo após o nascimento recuperaram a audição. Em humanos, a situação poderia ser irreversível em alguns casos.

"A pesquisa é bastante motivadora, mas há o receio de que possa ser tarde demais usar essa terapia no nascimento de bebês com síndrome de Usher já que eles são mais desenvolvidos do que ratos recém-nascidos", diz Ralph Home, diretor do Instituto Ação para Perda de Audição.

Foto: © Sergey Nivens - Shutterstock.com
Siga o CCM Brasil no Twitter