Mais de 800 químicos mexem com hormônios

Natali.Saude - 13 de fevereiro de 2017 - 09:39

Mais de 800 químicos mexem com hormônios

Bisfenol A (BPA), presente em garrafas de plástico ou latas, cosméticos e brinquedos, é um exemplo

(CCM SAÚDE) — Químicos escondidos em cosméticos, embalagens de alimentos e brinquedos podem interferir no sistema hormonal e trazer prejuízo à saúde, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Estima-se que haja cerca de 800 compostos químicos suspeitos e o que se sabe é que pelo menos 66 destes deles, como bisfenol A (BPA), dioxina, atrazina e vários ftalatos (BBP, DEHP, DOP e DBP), têm "clara evidência de perturbação da atividade endócrina".

Os ftalatos são usados, por exemplo, em produtos coloridos, como brinquedos infantis e sexuais, produtos de limpeza, como detergente, embalagens de alimento, produtos de beleza, como esmalte de unhas, sprays para o cabelo, loções de barbear, sabonetes, xampús, perfumes e outros produtos com fragrância.

O bisfenol A (BPA) está presente em garrafas de plástico ou latas, cosméticos, brinquedos, CDs e, até há pouco tempo, faz parte da constituição das mamadeiras.

O perigo desses compostos é que tanto animais como humanos são mais vulneráveis a eles durante certos períodos do desenvolvimento, como dentro do útero da mãe e na puberdade.

Segundo a OMS, os efeitos da exposição precoce ao composto podem se manifestar em qualquer momento da vida, por meio de câncer de mama e de próstata, infertilidade, puberdade precoce, obesidade, transtornos metabólicos e diabetes tipo 2.

Para evitar esse tipo de prejuízo ao organismo, recomenda-se escolher cremes, detergentes e produtos "livres de fragrância”, priorizar materiais alternativos ao plástico, como a madeira, quando comprar brinquedos para as crianças, e no caso de embalagens de comida, preferir vidro sobre latas.

Foto: © gpointstudio - Shutterstock.com

Siga o CCM Saúde no Twitter