Sensor aponta HIV uma semana após infecção

Natali.Saude - 20 de fevereiro de 2017 - 15:35

Sensor aponta HIV uma semana após infecção

Detecção precoce aumenta a eficácia dos antirretrovirais e evita propagação do vírus

(CCM SAÚDE) — Uma tecnologia inovadora, descoberta pelo Conselho Superior de Pesquisas Científicas (CSIC) da Espanha, é capaz de detectar o vírus HIV uma semana após a infecção.



Hoje em dia, são necessários 30 dias para que a presença do vírus seja identificada em um exame - esse período é denominado 'janela imunológica'.

Agora, com o desenvolvimento desse biossensor que pode detectar o HIV tipo 1 na primeira semana de infecção, é possível detectar o antígeno em "concentrações 100.000 vezes inferiores" às dos sistemas atuais, afirmou Priscila Kosaka, do Instituto de Microeletrônica de Madri, em comunicado à imprensa.

Realizado com soro sanguíneo (líquido do sangue livre dos fatores de coagulação), o exame detecta uma proteína presente no Vírus da Imunodeficiência Humana do tipo 1 (HIV-1), o antígeno p24. O dispositivo permite que o p24 fique preso entre as nanopartículas de ouro e as estruturas micromecânicas de silício.

Segundo os especialistas, a detecção precoce é um fator-chave para melhorar a eficácia dos antirretrovirais e prevenir a propagação da doença que, anualmente, infecta 2,5 milhões de pessoas no mundo.

Foto: © Vadim Guzhva - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter