Pimenta nacional é arma contra o Aedes aegypti

Natali.Saude - 21 de fevereiro de 2017 - 09:35

Pimenta nacional é arma contra o Aedes aegypti

Substância presente na Piper adunco, da Amazônia, está sendo testada como repelente

(CCM SAÚDE) — Uma matéria-prima caseira, presente na selva amazônica, pode ser a nova arma contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como zika, chikungunya, dengue e febre amarela.

Conhecida como pimenta-de-macaco, jaborandi-do-mato e aperta-ruão, a Piper aduncum é uma planta da família das pimentas e possui alta quantidade de dilapiol, um poderoso inseticida, e que agora está em fase de testes como repelente por cientistas da Embrapa Amazônia Ocidental e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

O dilapiol, com propriedades fungicida e bactericida, está presente em plantas da espécie piperáceas, foco da pesquisa de Ana Cristina da Silva Pinto, que isolou princípios ativos da Piper aduncum e modificou suas moléculas, maximizando os efeitos.

Nos testes, 15 substâncias derivadas desse experimento foram testadas em larvas e insetos adultos do Aedes aegypti e em larvas do transmissor da malária, o Anopheles darlingi. Ambos os insetos foram combatidos com as fórmulas, mas a ação repelente no transmissor da dengue teve resultados melhores.

"Já temos vários protótipos prontos e testados em laboratório. Nos testes, conseguimos provar o seu valor de afastar o mosquito. Agora, queremos aumentar o poder de duração para saber se o repelente consegue durar pelo menos 30 dias sem evaporar", explicou a cientista ao jornal ‘Correio Braziliense’.

Embora os testes estejam em fase promissora, ainda há um longo caminho até a comercialização do produto - estima-se que de cinco a dez anos.

Foto: © Tacio Philip Sansonovski - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter