Ministério lança diretrizes para o parto normal

Pedro.Saude - 9 de março de 2017 - 09:48

Ministério lança diretrizes para o parto normal

Documento, publicado pela primeira vez no país, contraindica manobras que colocam em risco mulher e bebê

(CCM SAÚDE) — O Ministério da Saúde lançou nesta quarta-feira (8) suas primeiras diretrizes para o parto normal e humanizado. O documento prevê, entre outras ações, realização de parto de baixo risco por enfermeiras obstétricas e a contraindicação do uso indiscriminado de certas manobras e técnicas para acelerar o nascimento.

Elaboradas por profissionais de saúde convidados pelo ministério e contando com colaborações da população, as diretrizes têm como finalidade reduzir o número de ações que possam prejudicar a gestante e seu bebê. Entre elas, estão o uso moderado do hormônio ocitocina - que antecipa o parto, da episiotomia (corte no períneo) e dos nascimentos por cesariana. Todas essas técnicas só devem ocorrer se houer necessidade.

Já a chamada Manobra de Kristeller, na qual o útero da grávida é pressionado para promover a expulsão do bebê, passa a ser contraindicada pelo órgão federal. Em seu lugar, recomendam-se ações como mudança de posição, esvaziamento da bexiga e puxos espontâneos.

Quanto à prática do parto normal, as novas medidas incluem realização de partos, quando forem de baixo risco, por enfermeiras obstétricas, participação de doulas, desobrigação do jejum pela gestante, métodos para alívio da dor do parto e contato imediato da mãe com o bebê após o nascimento.

Além disso, o Ministério da Saúde também informou que vai ampliar o acesso ao DIU de cobre, método contraceptivo mais usado no mundo, no Sistema Único de Saúde (SUS). Já disponível nos postos de saúde, o dispositivo também será encontrado em maternidades e deverá ser oferecido à mulher após o parto ou em casos de aborto.

Foto: © Anna Omelchenko - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter