Mutações de câncer são erros aleatórios de DNA

Natali.Saude - 24 de março de 2017 - 11:21

Mutações de câncer são erros aleatórios de DNA

Cientistas descobriram que 66% das mutações são aleatórias; diagnóstico precoce fica mais importante

(CCM SAÚDE) — Uma descoberta pode mudar a forma com que o câncer é visto e diagnosticado. Isso porque, de acordo com cientistas que sequenciaram o genoma e dados de 32 tipos de câncer, a mutação das células é algo, geralmente, aleatório.



O estudo, conduzido com pacientes dos Estados Unidos e de outros 68 países, mostra que pessoas saudáveis diagnosticadas com câncer tem, por exemplo, carcinomas que mostram erros durante a replicação do DNA, o que derruba as teses de que esse mal provém de mutações genéticas herdadas ou fatores ambientais.

Publicado na revista 'Science', o estudo reforça a importância do diagnóstico precoce, como avalia Cristian Tomasetti, professor no Johns Hopkins Kimmel Cancer Center e um dos autores do trabalho. "É sabido que devemos evitar fatores ambientais, como fumar, para diminuir o risco da doença, mas não sabemos muito sobre as mutações que ocorrem na replicação do DNA", explica. "Esses erros de cópia são fonte de mutações de câncer que foram cientificamente subvalorizados. Esse novo trabalho fornece a primeira estimativa da fração de mutações causadas por erros", diz, em comunicado.

Na análise, descobriu-se que, em casos de câncer de próstata, cérebro ou osso, por exemplo, mais de 95% das mutações são aleatórias. No caso dos pancreáticos, 77% delas são aleatórias, 18% causadas por fatores ambientais e 5% estão ligadas à hereditariedade. No câncer de pulmão, 65% das mutações são devido a fatores ambientais, principalmente o hábito de fumar, e 35% são aleatórias.

"Muitas pessoas desenvolverão o câncer, não importa o quão perfeito seja o comportamento delas. A doença pode ocorrer por causa dessas cópias aleatórias do DNA. Essas pessoas não devem se sentir culpadas, pois não existe nada que elas poderiam ter feito para evitá-lo", conclui Bert Vogelstein, pesquisador no Johns Hopkins Kimmel Cancer Center.

Foto: © Creations - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter