Distúrbios de peso estão ligados à enxaqueca

Natali.Saude - 18 de abril de 2017 - 10:06

Distúrbios de peso estão ligados à enxaqueca

Pesquisa feita nos Estados Unidos mostra que obesos ou com baixo peso têm mais cefaleia crônica

(CCM SAÚDE) — Pessoas fora do Índice de Massa Corporal (IMC) ideal têm risco maior de sofrer crises de enxaqueca. Segundo estudo que avaliou 290 mil pessoas, há maior taxa de cefaleia crônica em obesos e pessoas com baixo peso.



"Para validar que o risco de enxaqueca é maior em pessoas com obesidade e que estão abaixo do peso, usamos todos os estudos cujos métodos nos permitiram usar dados consistentes, com categorias usadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que também foram relacionados com padrões de idade e sexo para que fossem mais consistentes", explicou, ao 'Correio Braziliense', Lee Peterlin, pesquisador da Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, e autor principal do estudo.

Ao avaliarem 12 trabalhos anteriores, os pesquisadores descobriram que obesos têm probabilidade de enxaqueca 27% maior. Já indivíduos com baixo peso são 13% mais propensos a enfrentar as crises. A causa disso, segundo eles, ainda é indefinida, porém há suspeitas como alterações no tecido adiposo, que secreta moléculas de sinalização bioativas.

"Também é possível que outras condições, como alterações na atividade física, a ingestão de medicamentos, a presença de comorbidades, a depressão, por exemplo, contribuam para a relação entre enxaqueca e obesidade ou baixo peso", completa Perterlin.

"Realizaremos também um trabalho adicional avaliando como lipídios e proteínas relacionados à obesidade são alterados durante a enxaqueca aguda, em comparação à cefaleia menos grave. Queremos também avaliar essas moléculas específicas relacionadas à obesidade para saber como usá-las em tratamentos para esse problema de saúde", conclui o pesquisador.

Foto: © Maridav - Shutterstock.com
Siga o CCM Saúde no Twitter