Útero artificial pode ajudar bebês prematuros

Pedro.Saude - 26 de abril de 2017 - 08:20

Útero artificial pode ajudar bebês prematuros

Aparelho testado em animais mantém recém-nascido em ambiente que simula barriga da mãe

(CCM SAÚDE) — Um útero artificial criado por cientistas do Hospital Infantil da Filadélfia, nos Estados Unidos, pode ser a esperança para bebês muito prematuros, condição que tem baixa taxa de sobrevivência e alto risco de problemas de saúde graves.

A aparelhagem, testada com sucesso em carneiros, simula o interior da barriga da mãe e mantém o recém-nascido envolto em líquido amniótico para completar seu desenvolvimento. Além disso, o animal permanece conectado pelo cordão umbilical, por onde é nutrido e recebe a oxigenação necessária.

Atualmente, partos podem ser bem-sucedidos a partir da 23ª semana de gestação. No entanto, bebês nascidos neste momento têm apenas 15% de chance de sobreviver, principalmente pela formação ainda incompleta dos pulmões. Nesta fase, cada dia extra de gravidez melhora o prognóstico, que chega a 80% na semana 28.

Ainda sem contar com os alvéolos pulmonares, esses recém-nascidos têm dificuldades na absorção do oxigênio. Quando o nível de O2 cai significativamente, há risco de problemas cardíacos e cerebrais. Por outro lado, uma hiperventilação pode comprometer a visão do bebê. Por conta disso, o objetivo é manter a criança no útero artificial por até quatro semanas para garantir seu desenvolvimento.

De acordo com os pesquisadores, os primeiros testes com seres humanos devem ser feitos em até três anos. Caso as expectativas positivas se confirmem, o aparelho poderá chegar às maternidades em cerca de 10 anos.

Foto: © Juan Gärtner - 123RF.com