Barato, novo antidepressivo gera menos efeitos

Natali.Saude - 8 de maio de 2017 - 11:57

Barato, novo antidepressivo gera menos efeitos

Succinato de desvenlafaxina monoidratado combate a diminuição da libido e ganho de peso

(CCM SAÚDE) — Atualmente, estima-se que cerca de 11,5 milhões de pessoas no Brasil sofram de depressão, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Porém, apenas metade delas busca tratamento, seja devido ao alto custo dos medicamentos ou por conta do estigma que rodeia quem sofre de depressão, além dos efeitos colaterais gerados pelos antidepressivos.

Diante desse quadro, pesquisadores buscam desenvolver medicamentos mais baratos e que proporcionem melhores reações aos pacientes. Um exemplo disso é o succinato de desvenlafaxina monoidratado, que começa a ser vendido também sob a marca Zodel. Ele promete reduzir a ocorrência de alguns efeitos adversos, como ganho de peso e redução da libido.

Vista como uma forma de popularizar o tratamento de casos de depressão, essa alternativa é muito mais econômica que o remédio original, o Pristiq, vendido no Brasil desde 2008. Essa é uma evolução das primeiras gerações de medicamentos antidepressivos, com a fluoxetina e a venlafaxina.

A novidade é encarada pelos médicos como uma opção mais barata e menos incômoda de tratamento, haja vista que os antidepressivos afetam principalmente as mulheres, que sentem o ganho de peso e a redução da libido em alguns casos.

Foto: © Antonio Guillem - Shutterstock.com