Ataque cardíaco: analgésico comum sobe risco

Natali.Saude - 15 de maio de 2017 - 10:13

Ataque cardíaco: analgésico comum sobe risco

Estudo mapeou dados de quase 500 mil pessoas que usaram analgésico com prescrição

(CCM SAÚDE) — Uma pesquisa publicada no 'British Medical Journal' sugere uma ligação entre o consumo de altas doses de analgésicos anti-inflamatórios e ataques cardíacos. Segundo o estudo, geram risco maior nos primeiros 30 dias de uso.

A análise, conduzida com dados de 446.763 pessoas, focou em que consumia anti-inflamatórios não esteroides (ibuprofeno, aspirina, diclofenaco, celecoxibe e naproxeno) e chegou à conclusão de que o risco de ataques cardíacos aumenta já na primeira semana de consumo, aumentando ao longo do primeiro mês, com a ingestão de doses mais altas, recomendadas por receita médica.

Os pesquisadores, no entanto, admitem que há variantes que podem interferir nos resultados, como obesidade e o fumo. "Vai ser bem difícil dizer se o ataque cardíaco foi causado pelo analgésico ou pelo que levou à prescrição do medicamento”, pondera Kevin McConway, professor emérito de estatística da Open University, no Reino Unido.

Já havia indícios de que esse tipo de medicamento poderia gerar problemas cardíacos. Tanto que há recomendação para que esses anti-inflamatórios não esteroides sejam ministrados com cautela em pacientes com problemas cardíacos.

Foto: © Africa Studio - Shutterstock.com