Pesquisa: cardíacos e diabéticos devem se casar

Natali.Saude - 7 de junho de 2017 - 09:55

Pesquisa: cardíacos e diabéticos devem se casar

Pesquisa conduzida em Manchester, no Reino Unido, avaliou dados de quase um milhão de pessoas

(CCM SAÚDE) — Casar pode elevar a sobrevida de pessoas com problemas cardíacos ou diabetes. É o que aponta uma pesquisa apresentada na conferência da Sociedade Cardiovascular Britânica, no Reino Unido, que diz que casais têm um apoio social maior, o que os leva a buscar estilo de vida mais saudável e seguir a medicação.

Após analisarem dados de quase um milhão de britânicos por uma década, os cientistas descobriram que as pessoas que possuem fatores de risco cardíaco como colesterol alto, hipertensão e diabetes tipo 2 se saem melhor vivendo como casados.

De acordo com o estudo, homens e mulheres por volta dos 50, 60 e 70 anos com colesterol alto tinham 16% mais chances de permanecerem vivos ao final dos 14 anos do estudo se fossem casados, bem como quem tinha diabetes 2 e hipertensão.

"Precisamos entender melhor essas razões, mas parece que existe algo em estar casado que é protetor, não apenas em pacientes com doenças do coração, mas também as que têm fatores de risco para as enfermidades", explica Paul Carter, um dos líderes do estudo.

"No entanto, não estamos dizendo que todos deveriam se casar. Precisamos replicar os efeitos positivos do casamento sobre a rede social [de solteiros] que tem base em família e amigos", completa, enfatizando que nossas interações sociais refletem muito na saúde e no bem-estar de quem tem fatores de risco.

Foto: © sheeler - 123RF.com