Aspirina: risco maior de sangramento em idosos

Natali_CCM - 19 de junho de 2017 - 09:35

Aspirina: risco maior de sangramento em idosos

Medicamento é ingerido por muitas pessoas em todo o mundo para evitar ataques cardíacos

(CCM SAÚDE) — Um estudo conduzido no Reino Unido mostra que pessoas com mais de 75 anos que ingerem aspirina diariamente têm risco maior de sangramento grave ou até fatal. O medicamento é tomado para evitar ataques cardíacos.

Após avaliarem 3.166 britânicos com diferentes idades, mas em comum o fato de terem sofrido infarto ou acidente vascular cerebral (AVC) e ingerirem aspirina diariamente, concluiu-se que os idosos - com mais de 75 anos - devem parar de tomar o medicamento.

Segundo os pesquisadores, em vez de tomarem aspirina, os idosos devem utilizar remédios para azia, como o omeprazol, que diminui o risco de sangramento gastrointestinal.

"Em pessoas com menos de 75 anos, os benefícios de tomar aspirina para prevenção secundária após um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral compensam claramente o risco relativamente pequeno de sangramento. Essas pessoas não precisam se preocupar", disse Peter Rothwell, um dos autores do estudo.

"Nas pessoas com mais de 75 anos, o risco de um sangramento grave é maior, mas o ponto chave é que esse risco é substancialmente evitável tomando inibidores da bomba de prótons junto com a aspirina", completou o cientista.

Por outro lado, para Alan Boyd, presidente da Faculdade de Medicina Farmacêutica, ponderou que os benefícios da aspirina compensam os riscos de sangramento em todos os pacientes, independentemente de sua idade.

Foto: © ImageFlow - Shutterstock.com